Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2006

Manhã de Carnaval

Plena segunda-feira de carnaval, eu acordo e vou pro computador. Não tenho esperanças de mensagens no orkut pois meus amigos devem estar bêbados ou cansados demais para digitar qualquer coisa. Minha esperança é Eduardo Scaldaferri que não está participando dessa baixaria pela única razão de estar na Itália. Mas certamente ele tem coisa melhor pra fazer na Itália do que ficar no computador. Nenhum recado. Vou ao perfil de Débora Santiago, pra ver se os irmãos dela estão no orkut.

Débora é uma pessoa que me faz sentir velho. Eu era amigo dos irmãos dela e, pra mim, ela era a irmãzinha caçula e pentelha dos meus amigos. Nem tão pentelha, é verdade, considerando as possibilidades. A família toda era tirada a engraçadinha e me espanta que apenas uma tenha virado artista profissional. Muito me chocou ver aquela garotinha hoje, já mulher. Por isso procuro o refúgio de me relacionar com os irmãos dela, meus contemporâneos.


Fui lá no perfil de Débora e encontrei Denice. Adicionei. De quebra adic…

Cara de uma...

Imagem
Entre os micos desse carnaval um que está sendo bem divulgado é o do cantor do Jammil que chamou Betty Faria de Sônia Braga. Como eu sei que muitos dos foliões vão perguntar: "Ele confundiu quem com quem?", resolvi colocar aqui fotos das duas para as pessoas saberem.


E aí? deu pra ver quem é quem?

Aversão, a versão!

Imagem
Eu ouvi de um folião que Margareth Menezes chamou Bono pra cantar com ela, mas ele não cantou. Não sei se foi verdade porque não vejo Os Mascarados nem pela TV. Mas a história por trás disso, totalmente falsa e inteiramente inventada por mim, é a seguinte:

Bono, a respeito de quem Margareth disse que "não faz demagogia, fala de coisas profundas", até se prontificou a cantar com a Diva da Tradição, Família e Heterossexualidade Baiana, mas como ele não saiba a letra da novíssima e quase inédita música da afinadíssima cantora, Faraó, ele pediu que alguém traduzisse seu mais recente e estrondosso hit:

"The dirt, it does not pardon - That Good!
It washes, clean and the dirt disinfects - That Good!
With That Good the cleanness turned party - That Good!
That pretty, that is that passes - That Good!
That clean, that brightness, that mass.

It only looks at that beauty, only looks at that softness.
That Good that clean everything and makes party with cleanness.
The dirt, it does not pardo…

O fato e a versão

Quem leu as notícias sobre Carlinhos Brown "criticando a violência", mas não ouviu o que ele disse na TV (supondo que quem tava na rua sequer prestou atenção), vai ter uma idéia errada sobre o que aconteceu.

Pra começo de conversa, as duas matérias que eu li vêm da mesma fonte: a Reuters. Ou seja, é a mesma nota reproduzida nos mínimos detalhes pelo Último Segundo, pelo Terra e pelo UOL.

A Band estava presente, mas na sua página destinada ao carnaval, na opção notícias, encontramos uma coluna social eletrônica que destaca "notícias" "importantes" como o encontro dos apresentadores da emissora na piscina do hotel. Ooooooooooh!

Mas voltemos à notícia da Reuters reproduzida pelos sites da internet. Como coloquei os links, espero que vocês leiam sobre o que estou falando, e agora vou dar a minha versão do que eu vi.

Daniela Mercury cantava e viu uma briga. Pediu pra trio parar. Reclamou com o sujeito. Perguntou se era assim que ele queria "levar a vida dele…

Já é carnaval, cidade!

E vários casais estão mantendo uma tradição carnavalesca: o rompimento pré-carnaval. Alguns são mais precavidos e dizem que só vão dar um tempo. Mas o esquema é ficar sem compromisso pra poder pegar quem quiser durante a (os chavões do carnaval só perdem pros da eleição) folia momesca e depois voltar pro braços do antigo companheiro, como se nada tivesse acontecido.

Antigamente, eu me lembro que esse esquema era uma forma das meninas corneadas, não se sentirem corneadas. Elas "rompiam" o namoro, o namorado comia quem queria (bom, na verdade comiam quem queria ELE), e depois reatavam.

Mas com o tempo, as mulheres perceberam que já que estavam "rompidas" (e já estavam mesmo) elas também podiam dar pra quem quisesse (e durante o carnaval, com muita cerveja na cabeça, todos queriam).

Na avenida os separados se comportam de várias maneiras. Tem uns que saem juntos, no mesmo bloco, todos os dias, mas separados. Se não achar ninguém que os queira, eles transam um com o outro…

Mais um, mais dois, mais três...

Essa semana soube que um amigo teve um filho. Poucos dias depois fui convidado para conhecer o filho de uma amiga. Isso tudo me fez pensar: por que a humanidade continua procriando?

Sim, porque o aumento da população, com a escassez dos recursos naturais, só provoca devastação do meio ambiente, pobreza, fome, guerra...

Em primeiro lugar, ao que me conste, a humanidade não está nem perto do risco da extinção. Pelo menos não pela escassez de exemplares. O mais provável é justamente o contrário: nos extinguirmos devido ao excesso de pessoas, através de uma guerra, talvez nuclear, ou pela destruição da camada de ozônio, por exemplo. Assim, qualquer tese sobre preservação da espécie perde argumento para essa reprodução desenfreada.

Minha amiga Ana Claúdia diz que é uma programação biológica. Bom, a infidelidade masculina também o é e nós não aceitamos esse fato assim como aceitamos a procriação. O ser humano se orgulha de ter superado seus instintos mais primitivos em prol de uma racionalidad…

Síndrome de Estocolmo

Imagem
A Revista Superinteressante desse mês traz uma matéria sobre a Axé Music. Fala do surgimento do ritmo e mostra como estão hoje em dia algumas estrelas do carnaval baiano.

Sobre Margareth Menezes, o texto fala o que vem sendo repetindo há mais de ano, que a cantora deu uma de Gloria Gaynor, entregou sua vida a Jesus (até porque ninguém mais quis) e agora rejeita o público GLS que garantiu seu sucesso.

Pois minha amiga Andréa foi ao ensaio de Margareth nesse fim de semana e no dia seguinte comentou comigo: "Só tinha gay naquele Rock in Rio". A frase foi um pouco exagerada, até porque no continuar da conversa eu entendi que Andréa não voltou sozinha pra casa, o que indica que, ao menos, um heterossexual deveria ter lá.

Mas o importante é: se Margareth Menezes rejeita o público gay, faz questão de dar declarações públicas para desvincular sua imagem desse público, por que os gays insistem em dar seu dinheiro e sustentar a carreira dela?

Uma resposta seria ela ser tão boa, mas tão e…

Renascer da Paixão

Ontem fui pro show/gravação de dvd de Netinho. No começo, eu estava dizendo pra mim mesmo que estava indo mais por educação, porque recebemos convite, porque seria uma desfeita com Cris (a produtora) e quem sabe com o próprio, já que Cris garantiu que ela estava ligando a pedido dele.
Bem verdade que essa amizade é com Beto e não comigo, já que Cris foi aluna de Beto e ele conheceu Netinho. Eu conheci Cris e Netinho através de Beto e converso com ela eventualmente pelo messenger. Nesse intercâmbio conheci Cíntia, uma garota muito legal e minha amiga de MSN também.

De qualquer forma eu também tinha sido convidado e, quer ela e ele reparassem ou não minha presença, é desfeita pegar convite e não ir sem um motivo. Fomos à produtora apanhar os convites. Beto explicou logo a Cris que ele não iria sexta por causa da aula, só hoje é que ele vai.

Foi lá na produtora que eu vi as músicas que seriam tocadas e cai em mim que eu QUERIA IR praquele show. Eu gostava daquelas músicas e, só então perceb…

Andréa

Recebi uma linda declaração de amor. E quem acha que essas manifestações são bregas, piegas ou sentimentalóides, que passe batido e espere até eu poder postar de novo.

Em primeiro lugar vocês devem ir no blog AOS CUIDADOS DA NAVE. Depois procurem o post intitulado DJAMAN.

Pra quem achar que aquele sujeito magro da foto não pode ser eu... eu digo que sim, eu fui magro um dia. O post é sobre mim.

Começa que o título é meu nome, então é sobre mim, mesmo.

Déa é uma grande amiga. A conheci em 1988. Eu extremamente tímido, quase tapado e sem graça. Ela, divertida, falante, amiga de todo mundo. Inclusive de mim.

Ela nas festas da faculdade, nas baladas e eu lá, na segunda-feira, ouvindo as histórias. Tudo bem que eu até ia em uma ou outra, mas em geral não me lembro de ser enturmado. A verdade é que nossa turma era muito legal e a maioria das pessoas se davam bem. Mas lembro que, por algum motivo, depois que eu abandonei a faculdade, ainda continuei a manter contato com Andréa. E só com ela.

Com o…

Pra não dizer que eu só reclamo.

Conheci uma pizzaria muito boa, com preço compatível com a qualidade e um bom atendimento.

Eles tem delivery, mas é legal ir lá. Quem quiser pedir em casa, pode escolher o sabor pelo site.

Fiz meu comercial.

Head Movie

Existe uma premissa de que filmes alternativos devem ser elogiados por todo mundo. Todos tem obrigação de gostar, aliás, de adorar. E se você não gostou é porque não é inteligente suficiente para entender o filme ou você é muito comercial e tem aquela visão de cinema americano.

Algumas pessoas podem não achar engraçado filmes como A SOGRA ou dizer que é OS IRMÃOS GRIMM é um filme ruim, mas basta o filme ter o rótulo ALTERNATIVO ou INDEPENDENTE pra seu uma unanimidade de crítica.

Se for europeu então... nem se fala. E ai de quem não gostar de um Almodòvar!

Pois eu quero dizer que achei Brokeback Mountain muito chato. O filme é arrastado e a história poderia ser contada num curta metragem. Compreendo que algumas pessoas tenham gostado, mostra dois cowboys gays, com cenas que a Globo não permitiria que Glória Perez sequer pensasse em escrever. Mas é chato. E o que me admira não é que tanta gente tenha gostado, mas que não ouço ninguém dizer que NÃO GOSTOU. Nenhuma obra pode ter aceitação un…

Em Itaberaba

Qual a menor distância entre dois pontos?

Pro pessoal da Águia Branca, deve ser uma parábola cujo vértice é v=inferno! Só isso pra explicar que eu saí de Salvador às 06:30h e percorri os 267 km chegando em Itaberaba às 14:00h!

Eu percebi que tinha problemas logo na saída quando percebi que o carro não tinha ar condicionado. Até Feira de Santana foi tudo bem. Depois que saímos de Feira e o cobrador veio checando as passagens, descobriu que um senhor (eu ia dizer velho, mas até então ele era um senhor) estava no ônibus errado. Paramos a viagem. O senhor, que a essa altura trataremos de velho, ia pra Itabuna. E se recusou a ser largado na estrada, proposta inicial do cobrador, pra voltar pra Feira por conta própria. Nesse o que faz, oo que não faz, o velho desce do ônibus, tiram a bagagem do velho, o velho volta pro ônibus, o velho desce de novo e volta aborrecido.

Depois que o cobrador se convenceu que a culpa foi dele porque não conferiu as passagens antes dos passageiros subirem, voltamo…