Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2011
Vasmos testar esse visual mais clean, do post. Na barra de cima, tem diversas opções de visualizações, você escolhe: Classic, Flipcard, Magazine, Mosaic, Sidebar, Snapshot ou Timeslide. Teste e um e escolha qual fica melhor pra acompanhar o blog.

Atualizando: o visual novo é ruim pra eu acessar as postagens, voltei a um dos antigos.

Jingobel, jingobel, acabou o papel...

É poca de Natal.
E em cada mesa de bar, email, ou rede social encontramos alguém falando que o Natal é uma data para consumo e que é uma festa capitalista.
Esse discurso é para a boca do pseudo-esquerdistas como o pisca-pisca para a árvore de Natal. Basta chegar dezembro, que ele aparece.
Pra começo de conversa, eu não entendo porque essas pessoas simplesmente não compram uma passagem para passar o Natal em Cuba, China ou Vietnã. Lá certamente, não terão um Natal capitalista.
Vivemos num país capitalista e as coisas que fazemos aqui, se quisermos que tenham sucesso, têm que ser no sistema capitalista.
Ser capitalista não significa que a pessoa esteja disposta a vender o couro de seu filho de 5 anos pelo preço certo. O capitalismo não é desumano. Nem poderia ser. Não foi um sistema criado por extra-terrestre, nem por bruxas. Foi concebido por humanos e por isso tem todas as virtudes, defeitos, justiças e injustiças que os humanos conseguem jogar nele, como qualquer outro.

Por acaso, o…

COCA-COLA E UM SORRISO

Imagem
Para Karin

O tempo que não vivi

Imagem
Essa semana meu irmão publicou no Facebook que aprendeu a gostar de Geraldo Azevedo comigo, por causa de um LP que eu tinha.
O LP era Luz do Solo, e apesar de ser muito bonito mesmo, não é isso que importa aqui. Preocupado em meus próprios problemas, na adolescência, nunca pensei em compartilhar qualquer experiência, gostos, atividades com meu irmão mais novo.
Durante um tempo, a diferença de quase 4 anos realmente atrapalhava, mas creio que não fomos mais unidos por causa da minha incapacidade de aproximação.
Claro que eu tinha sentimentos diversos pelo fato de ter um irmão, desde o natural ciúme, da competição, da pirraça irracional e covarde com alguém mais novo, ao companheirismo em algumas travessuras, o desespero e a culpa quando involuntariamente provoquei sua queda e ele se machucou muito, o sentimento de inadequação e de que não era bom exemplo como irmão.
Enfim, durante um tempo de minha vida, apesar de não sermos nenhuma família desustruturada, aliás longe disso, também não…