Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

Faz de conta que ainda é cedo

Levei anos para tirar a sensação de que estava fazendo algo de errado em ficar na cama até mais tarde aos domingos.
Domingo era dia de ir à igreja e, como bom cristão, eu sabia as consequências de não se fazer o que se deve fazer.
Hoje, não acredito mais em inferno e, mesmo que ele existisse, qualquer papa ou pastor evangélico diria que apenas retornar a visitar o "pai todo poderoso" semanalmente não iria garantir a minha saída do suplício eterno.
De qualquer forma, as manhãs de domingo estão pacificadas em minha consciência e, mesmo que acorde cedo, eu só me levanto depois das 10:00h, a não ser que haja algo muito interessante no Parque da Cidade ou no MSN.
Mas o entardecer do domingo ainda me traz uma angústia que não consigo explicar.
A idéia natural é que seria por causa da segunda-feira. Dia de volta ao trabalho. Mas isso não explica que não tenha essa sensação, por exemplo no fim das férias. Ou porque essa tristeza ocorre mesmo nas férias ou em véspera de feriado.
Ante…

Tombo

Eu gosto muito de enroladinho de queijo e presunto. Só que ultimamente, não sei por que, inventaram de não botar mais as fatias de queijo e presunto inteiras, mas picadas. Até sei porque, pra economizar e colocar uma porção menor em cada salgado. Pra piorar, desse jeito que está, o picadinho do recheio fica todo numa parte só da massa. Um horror.

Agora, ruim, mas ruim mesmo, é a moda de ter brigadeiro de colher nas festinhas. Ora, a única coisa que torna humanamente suportável uma festa cheia de crianças barulhentas correndo é saber que tem uma mesa cheia de um docinho de chocolate coberto com chocolate granulado. E quando o brigadeiro tem o miolo durinho... Hmmmmm.
Mas quando você sai de casa, escolhe um presente entre as dezenas de opções de Max Steel, roda procurando uma vaga próxima à casa de festas, atura aquela gritaria na piscina de bolas, o choro da que não conseguiu ir no elástico, a indiferença do aniversariante, que já ganhou dezenas de Max Steel, alguns iguais ao seu, e só…

Vida de gado

Quando li que a Câmara Municipal de Piracicaba pretendia promulgar uma lei para impedir o sacrifício de animais em cultos afros, achei uma boa idéia.
Não que eu acreditasse nas boas intenções dos vereadores de lá, pois se eles estivessem preocupados com os animais realmente, deveriam também proibir o uso deles em testes e o abate cruel.
Não faz nenhum sentido ficar causando dor e sofrimento a seres vivos para encontrar uma melhor cor de batom ou uma fragrância nova. O ser humano não precisa de um novo pó compacto!
Mas logo vi que os adeptos das religiões de matriz africana (gente não tem um termo próprio, como católicos, crentes, protestantes, espíritas? Dá um trabalho escrever tudo isso) estavam protestando alegando discriminação religiosa.
Pra mim parecia ser mesmo por discriminação. Mas do ponto de vista dos animais, me pareceu certo.
Afinal, por que sacrificar animais para atender a crença do humano?
Os religiosos alegaram o direito constitucional à crença religiosa.
Discordo. Que…

Alegria da cidade

Quando garotos na Av.  Paulista são vítimas de homofobia, escândalo nacional. Quando lésbicas na África sofrem "estupro corretivo", enchemos o Facebook de mensagens. E tome fitinhas rosas pra lá e pra cá. Mas se uma cantora, reconhecidamente lésbica, dá declarações homofóbicas e até se "corrige" (sem precisar de estupro algum), a gente deixa pra lá e cai na folia, porque o que importa nessa vida é pular carnaval. Skindô, skindô. "Ouô. Gente estúpida".  Antes das ações cruéis, existem as idéias cruéis.

Suuuuuuuuuuuuuuuucesso!

Imagem
Vamos esquecer a sincronia áudio/vídeo. Vamos ignorar a animação das bailarinas lindamente coreografadas. Demos um desconto na afinação e ritmo. O que me pega é essa letra:
LigapraavenidachamadonaOndinadizquecampograndetanabarraaesperar.
Pelo menos, foi assim que ouvi. Tudo junto.

Atenção. Você com essa ficha na mão.

Fiz o check-in em Guarulhos, jantei, e entrei na sala de embarque achando que teria um voo tranquilo.
Ao descer para o portão 1, deparei com uma cena de horror.
O saguão estava tomado de gente, muitos sentados ou deitados no chão. Sinal de que muitos voos atrasaram.
Crianças chorando, pessoas irritadas, ar-condicionado aparentemente desligado.
Como nos piores dias do caos aéreo, à exceção de que as pessoas não estavam gritando com os funcionários.
Ainda faltam 40 minutos pro meu embarque na aeronave. Eu espero.


-Via iPhone
Location:Guarulhos,Brasil

Entendi, não

No programa Fala, Brasil da Rede Record, a moça anuncia: "A seguir, susto em Hollywood. Nicole Kidman anuncia que está grávida".
A menos que a notícia revele que Nicole Kidman é travesti ou que concebeu num ritual satânico, não vejo como a gravidez de uma atriz possa assustar Hollywood.


-Via iPhone
Location:R. Amália de Noronha,São Paulo,Brasil

Oh, Lord, would you buy me...

Imagem
"Jesus Chist My Arm Strong"
Se tem dinheiro pro carro, deveria ter pra escrever isso direito.


-Via iPhone

Não é feitiçaria

Vários sanitários públicos contam com recursos de automatização de torneiras, saboneteiras, secadores de mãos, mictórios (só os masculinos, ladies) e tem um em SP que até a porta de entrada é automatizada.
Tudo isso para evitar que as pessoas toquem nas coisas dentro do banheiro. Legal.
Só que nunca fazem um banheiro com mais do que dois desses recursos. Assim não adianta nada. Você não pega na torneira, mas pega na saboneteira. Dá no mesmo.


-Via iPhone
Location:Av. Paulista,São Paulo,Brasil

Promoção.

Imagem
Hoje, passeando pela Liberdade, vimos uma ação de marketing dos biscoitos Trakinas, que eu chamaria de agressiva.
Garotas distribuíam biscoitos aos transeuntes. Muita gente se debatia pra pegar vários pacotes. Mas nem era preciso sr esforçar. As meninas empurravam os biscoitos pra gente.
A princípio, eu e Vinicius tentamos desviar, mas quando vimos que seria impossível passar por ali sem ser assediado por uma daquelas meninas, resolvemos pegar uns biscoitos também. O resultado foi esse:



-Via iPhone
Location:R. Augusta,São Paulo,Brasil

Em Ribeirão Preto

Cheguei ontem à noite em Ribeirão Preto, sob forte chuva.
Depois de toda espera no aeroporto, fui espremido na poltrona de avião mais apertada que já vi. Fiquei com a impressão de que as pernas deveriam ir no bagageiro, porque ali não caberiam.
Durante o voo, alguns passageiros descobriram um dos segredos da tarifa baixa da Webjet. Eles não sabiam que o lanche era pago. Eu tinha decidido, desde que comprei a passagem, que não iria comprar o lanche, mas depois da demora do embarque e como não havia almoçado, resolvi pagar os R$ 18,00 por um sanduíche, uma bebida e um chocolate.
Alguns passageiros reclamaram porque não conseguiram nem água de graça. Uma mulher perguntou se aquilo era pra qualquer preço de passagem. Ficou decepcionada ao saber que pagar R$ 129,00 por uma passagem aérea não a tornava exatamente uma VIP.
Ao aterrissar, descobri que minha mala foi quebrada. Fiz a ocorrência e segui para a casa de Adenilson e Cida.
Apesar do tempo sem nos ver, e das evidentes mudanças física…

Você livre pelo ar

Imagem
Aqui estou eu, sentado no chão do aeroporto. Apesar de o incompetente do funcionário da Webjet dizer que o voo estava no horário, cheguei no portão 1 e só encontrei atônitos passageiros da empresa diante de um embarque da TAM.
Nenhum funcionário da Webjet para dar explicações. Depois disso, o monitor anunciou o embarque das 15:00 da Webjet para Recife.
Como o nosso voo seria 14:25, chequei a informação no aplicativo da Infraero e vi que o voo estava para às 16:00.
Por que desgraça o funcionário da Webjet não disse isso pra mim e pros outros passageiros que perguntaram?

-Via iPhone

Embarque nesse avião.

Imagem
Finalmente despachei a mala, já que o check-in tava feito há mais de uma hora.
Como não sobrou tempo pra comer, resolvi fazer um lanche na área de embarque.



Acreditem ou não, essa "refeição" custou R$ 11,50. A opção seria pagar R$ 16,00 por um sanduíche dentro do voo.

-Via iPhone

Céu azul

Após mais de uma hora de espera, surgiram rumores de que seria feita uma fila só para Ribeirão Preto. Enquanto um funcionário orgazinava a nova fila, um outro, muito inteligente, acho que a maneira mais rápida seria gritar: "Ribeirão Preto, aqui". Resultado o fim da fila correu e minha posição ficaria bem pior. Resolvi permanecer na fila original com mais outros passageiros que protestaram.


-Via iPhone

Dirija-se ao portão.

Apesar de meu voo ser às (eu sei que hoje, o chique entre os estudantes das melhores faculdades é escrever "ás", mas eu sou antigo) 14:23, cheguei aqui no aeroporto por volta de 12:20.
A fila da Webjet está gigantesca.
Fui até a máquina e fiz o check-in. Aí minha surpresa. Para despachar a mala, era na fila normal.
Qual a vantagem, então, de de fazer o check-in na máquina? Será que os imbecis não conseguem ver que se eles colocarem pessoas para despachar as malas de quem já fez o check-in, eles vão estimular que as pessoas façam o check-in antes, agilizando o atendimento?
Quase (eu disse"quase") sinto saudades da Gol.
-Via iPhone

Fim de ano em Fortaleza

Imagem
Vídeo feito por Déa com as fotos e a trilha de nosso final de ano.

Roçando a língua de Luis de Camões

"Atenção, senhores usuários do Ferry-boat. Próxima saída ao ferry, horário das 11:20. Ao ferry Agenor Gordilho".

O locutor da TWB não apenas desconhece nossa gramática. É pior. Ele pensa que conhece. Ele não fala como os ignorantes usuários do sistema que dizem "saída do ferry". Assim é como falam os vizinhos dele, os colegas de trabalho, a família.
Ele é diferente. Ao menos, quer ser. E ser diferente significa falar como os "doutores" e ele já viu doutor falando "ao". Então "ao" é chique, é inteligente.
E nosso herói passa a usar "ao" quando acha conveniente. Isso, certamente, vai impressionar os usuários, vai humilhar os colegas e vai demonstrar ao chefe que ele merece ser promovido. E quer saber mais? Ele viu os doutores usando "literalmente". A partir de agora, toda vez que tiver oportunidade, ele usa "literalmente". E quando escrever, já sabe, tem um "a" sozinho, tasca uma crase. É culto.
Es…

Dai-me paciência

A moça abre um guichê e me chama. Saio da minha fila e vou até ela.
Um velho que acabara de subir a escada, que fica ao lado do guichê, chega na minha frente.
- Qual o próximo comercial pra Feira?
- 17:30
- Não tem 17:20, não?
Francamente. Se tivesse o horário de 17:20, por que diabos a vendedora omitiria? Além do mais, pra quem vai de comercial, esses 10 minutos da saída pouco importam.
- Não senhor, o ônibus é 17:30.
- E é a mesma coisa nos outros guichês?
NÃO, velho burro. Cada guichê vende um determinado horário de ônibus, exclusivamente. A Santana tem um funcionário para vender tarifa de cada ônibus que parte. Acho até que mudam por dia da semana.


-Via iPhone
Location:Brasil

Prova de conhecimento

Imagem
E é nesse país que se critica a candidatura de Tiririca! Continuo achando que não há melhor representante da população.

E vamos nós, aterrar.

Antes de escrever qualquer coisa sobre o reveillon em Fortaleza, tenho que escrever sobre o incidente da volta. Os amigos do Facebook já sabem, mas aqui vai um relato mais completo.
Nos últimos dias em Fortaleza fiquei com uma espécie de alergia. Por conta própria (atenção, crianças: não façam isso em casa!) tomeu um comprimido de Allegra que Beto estava usando. Continuei com o problema e com dor de cabeça. Pensei que talvez não fosse alergia, mas um princípio de gripe. Como tenho sinusite, sei que tenho que me livrar da secreção o mais rápido possível. Nesses casos, eu costumava usar um spray nasal que a otorrina me passou, mas procurei ler a bula (na internet tem bula de todos os remédios) e vi que não seria aconselhável utilizar, pois faço uso de outro medicamento (para pressão).
Na verdade a bula diz que os descongestionantes em spray "podem interagir com outros medicamentos". Na hora pensei que essa não seria a melhor forma de dizer que não se deve usar o spray se você…

Nota de Falecimento

Imagem
Dona Zuzu, do bar Aconchego da Zuzu, morre aos 103 anos

Luiz Lasserre, do A TARDE

Eduardo Martins | Ag. A Tarde | Arquivo

Dona Zuzu tinha 103 anos




O bairro do Garcia (e todos que frequentavam ou conheciam o tradicional espaço Aconchego da Zuzu) está de luto com a notícia do falecimento da matriarca que dava nome ao restaurante. Juvência dos Santos Marinho – ou simplesmente Dona Zuzu — faleceu em casa e foi sepultada às 16h deste domingo, 2, no cemitério do Campo Santo.

Com uma trajetória de 103 anos, ela nasceu no Politeama de Baixo, tendo vivido também no bairro do Tororó.

Símbolo de alegria e entusiasmo, com atuação marcante na época de ouro do Carnaval das escolas de samba — que tinham no Garcia um celeiro de artistas —, ela se estabeleceu no bairro, vivendo com os seis filhos, 16 netos e 9 bisnetos.

Dona Zuzu morava numa pequena "ilha", em que estão distribuídas várias casas, cujo pátio central abriga o restaurante que lhe presta homenagem, o Aconchego da Zuzu.

Parece que a dis…

AguENTA

Essa postagem começou a ser escrita em 29/09/2010. Resolvi não terminar, nem publicar no dia, porque revelava coisas que à época eu ainda precisava dizer diretamente a algumas pessoas antes de publicar no blog. Agora resolvi terminar e publicar. 

Acabo de acordar com 40 anos. Fui até o espelho e a sensação é pura decepção. Não pelo fato de ter 40 anos, mas pela total falta de mudança entre o ontem e o hoje.
As desvantagens de ser um quarentão, como ficar gordo, hipertenso, ser chamado de tio, eu já senti há uns anos. As vantagens (ficar charmoso, mais sábio, ser respeitado como alguém mais velho) não chegaram até hoje. E olha que eu procurei tudo isso no espelho e só achei os mesmos fios brancos e sinais senis de ontem.
Na área da saúde fui ver quais os exames necessários para um homem de 40 anos. Descobri que estou atrasado nuns dois da faixa dos 30, mas já fiz uns dos 40 e até um que é para a faixa dos 50 anos. 
A tal "idade do lobo", numa clara alusão a quem corre atrás…

Eu Desejo... o melhor pra você em 2011 (Bruno Motta, comediante Stand Up)

Imagem
Muita gente acha que comediante é quem conta uma piada, quem ri da desgraça alheia, quem colcoa o pé pro outro cair. Pensam que comediante é o engraçadinho do almoço que ou ouvir qual vai ser a sobremesa pergunta: "Mas é pavê ou 'pa comer'?"
Um comediante não é nada disso. Um comediante é um artista, sensível e inteligente. Sabe observar os fatos. Sabe nos fazer rir da coisa certa e na hora certa.

Recebi um email com essa mensagem de um dos maiores comediantes brasileiros de stand up, em minha opinião, se não o maior. Em talento, pelo menos.



Quem esperou até o finalzinho pela piada, entendeu bem o que é um comediante.