sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Em passos de formiga

Hoje de manhã os jornais locais noticiaram o nascimento do menor cachorro do mundo. Diziam que um dos filhotes de uma cadela era minúsculo, o que assombrou os donos da cadela, que deram ao filhote o nome de "Vida".
Quando vi a imagem do cachorro, quase não acreditei. Tenho cachorro e já tive hamster. Sei a diferença entre um e outro e aquilo, pra mim, era um filhote de hamster!
À noite, a TV Aratu repetiu a história do menor cão do mundo. Já a TV Itapoan exibia matéria em que uma veterinária examina o tal cachorro e dizia que era um rato ou outro roedor que deve ter se desgarrado da mãe e foi parar no meio dos cachorros. No fundo, eu não estava tão errado assim e ainda posso estar certo, pois a veterinária disse que só quando o bichinho crescer mais é que poderá saber que tipo de roedor é.
O que mais me irritou, além da incompetência dos repórteres em verificarem uma história de modo simples, foi o fato de a revelação ser mostrada à noite como se fosse um desdobramento da notícia!
É como se anunciassem: "Bomba, bomba! Descoberto gato voador". E mais tarde: "Exclusivo! Novas revelações! Gato voador é um morcego!"
A segunda notícia não é fruto de investigação ou apuração do fato. Foi apenas a checagem que deveria ter sido feita ANTES de dar a primeira nota. O tom dela deveria ser de desmentido, de anticlímax, de um pedido de desculpas. Afinal, nunca houve notícia ali. O cachorro não se transformou num rato, ele nunca foi cachorro. Sempre foi um filhote de rato e, portanto, indigno de estar nos noticiários pelo seu tamanho.
Se há algo digno de se noticiar nessa história é a incapacidade de pessoas, incluindo repórteres, em diferenciar um cachorro de um rato, e a postura de jornalistas em divulgar notas como quem retransmite spams e hoaxes pela internet.
Quanto aos pouco higiênicos donos da cadela, que deixam seu bichinho parir em meio a ratos, decidiram continuar ordenhando a cadela e dando de mamar ao rato, numa prova de total imbecilidade ou de penitência pela estupidez. Mas garantiram seus 15 minutos de fama, que é o que parece importar hoje em dia.

Ressaca de Carnaval

Quando eu pensava que o pior porre do noticiário pós-momesco eram aquelas notícias que se repetem a cada ano dizendo: "o carnaval acabou, mas a folia continua...", vem a seguinte notícia:

“Lula me cantou”, diz Susana Vieira

Mal deixou de ser notícia por causa de outro Silva, e Suzana sai com essa estapafúrdia declaração que diz e nega logo em seguida: "quer dizer, me cantou, não". Ora, uma mulher com mais de 30 (trinta) anos, como deve ser o caso de Suzana Vieira, certamente sabe a diferença entre uma cantada e uma não cantada. Se Lula não a cantou, com que finalidade ela disse que cantou pra logo depois desmentir?

A resposta está nesse post. Quer dizer, nesse post exatamente, não, como diria Suzana, mas em todos os posts, comentários e notas na imprensa que seu comentário gerou.

Que beleza...

Publicitário ainda é considerado profissão? Mesmo depois disso?

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009



Apenas uma vez na vida eu comprei um abadá pra sair em bloco. Foi no Cheiro de Amor. No ano seguinte, ganhei abadá do Coruja, cortesia da minha amiga Márcia Reis. Vale dizer que naquela época quem puxava o trio ainda era Ricardo Chaves, por isso vendi os abadás (pruns turistas, claro), comprei do Cheiro e ainda saí no lucro.
Depois foi a vez do Bloco Dance, a convite de Simone Sampaio. No ano seguinte, compramos dois abadás do Bloco Dance, mas quando fomos comprar 6 pruns amigos de fora, Simone disse para cobrarem só 4... ou seja, saímos de graça de novo. Nesse ano também ganhamos cortesia do Alô Inter (3 dias) e do InterNet (3 dias), dadas por Netinho. Vejam que somados aos dois dias de Simone Sampaio, excederíamos os 6 dias de carnaval, o que significa que saimos em dois blocos no mesmo dia.
Ano seguinte fomos para o Camarote Expresso 2222, graças a Patrícia Brasil. Esses convites sempre chegaram sem que a gente procurasse ou pedisse a alguém. Eles simplesmente chegavam pela gentileza das pessoas aquicitadas.
Em 2007 nossa amiga Laurinha informa que sairia num trio independente e pergunta se a gente quer sair em cima do trio com ela. Claro!
Em 2008 não teve abadá, nem camarote, nem trio independente. Nossa folia foi como o Rei Momo do ano: magro. Tudo bem, fizemos nosso roteiro de cinema e aproveitamos o feriado.
Esse ano pensávamos em ir pra Aracaju, mas acabou não dando certo. E ainda bem, pois Simone Sampaio (novamente ela) ligou para dizer que ia cantar no Crocodilo! A notícia me deixou muito feliz porque gosto do trabalho de Simone e dela particularmente. Pensei em comprar abadás pra segunda-feira, mas como estava chegando de viagem, e sabia que tinha exagerado nos cartões de crédito, esperei ver primeiro a fatura, mas já desanimado.
Pois Ricardo, marido de Simone, me liga oferecendo dois abadás pro bloco. "Melhor é ter amigo na praça do que dinheiro na Caixa", já dizia um antigo comercial.
Todo mundo me disse que a segunda-feira do Crocodilo era a "mais fraca". Tem uns modismos do povo que eu não entendo. Se é o mesmo trio e a mesma cantora nos 3 dias, por que na segunda as pessoas resolvem não ir? Quasl a logística disso?
Pra mim, pouco importava, era pra segunda que eu tinha a cortesia e, mesmo que fosse comprar, compraria pra esse dia por causa de Simone Sampaio.
Fora o aborrecimento com a ridícula mania que alguns foliões tem de jogar cerveja nas outras pessoas (deve ter jeito melhor de desperdiçar R$ 2,00), eu diria que foi tudo perfeito.
Curti muito o bloco, adorei o som de Daniela, de Simone Sampaio, da canja de Lady Zu. Ouvi até dizer que Paula Lima tava no trio e cantou, mas isso eu só acredito quando vir no Youtube.
Se a segunda é o dia mais fraco,e eu consegui meia dúzia de beijos facilmente, nem imagino o que aconteceria na segunda ou na terça.
Até o ano que vem...

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Pra pular no carnaval



Valeu a pena o que gastou no abadá ou no camarote?

Prazer em conhecer



- Se alguém lhe oferecesse um abano como esse com uma alcinha assim pra carregar, você aceitaria?

Seja pelos conselhos da minha mãe, seja por traço de personalidade,eu não gosto de estranhos me abordando e, em geral, não respondo, a não ser que a pessoa esteja pedindo alguma informação ou que seja estritamente necessário. Mas achei aquela mulher com um rosto familiar e algo na abordagem dela me fez acreditar que era alguém realmente interessada em minha opinião e não uma maluca qualquer que abordava estranhos em Ipanema com leques de palha na mão.

- Eu não gosto de carregar coisas - respondi - por isso acho que pra mim não serviria. mas acho que pra quem quer levar o abano, seria legal uma alça pra carregar ele.

Atravesamos a rua e ela se apresentou:

- Meu nome é Lidoka...

Claro! Por isso eu a achava familiar. Eu estava diante de uma Frenética! E antes que alguém mais pergunte, a "gordinha", a "astróloga", se chamava Leiloca. Essa era Lidoka que, alheia ao meu entusiasmo, continuou explicando que agora fazia umas almofadas para notebook chamadas Bandocas, retirou uns cartões da bolsa, junto com umas fotos pessoais, por engano, e nos entregou. Devolvemos as fotos e nos despedimos.

No outro dia, entrei no site da tal Bandoca, e percebi que aquilo era muito útil. Resolvemos comprar e ligamos pra Lidoka que nos convidou pra irmos à casa dela. Fomos.

A tarde foi agradabilíssima. Lidoka nos contou alguns casos e, para nosso deslumbramento, fez uma mostra de um show solo em que ela canta e declama. Bom, não tem preço que pague 3 canções e 2 poemas numa apresentação exclusiva!!!!!!

Abaixo, um dos poemas que ela recitou pra gente.

Vamos voar pelos ares saindo à francesa, cantando a Marselhesa

Vamos voar pelos ares dizendo Amém. A quem ?

Vamos voar pelos ares pelo dedo de um lunático, prático e objetivo !

Vamos voar pelos ares

Judeus e palestinos dividindo o mesmo assento musical – “My sweet Lord, Aleluia”, oh my Lord , Aleluia!”

Vamos voar pelos ares

Tio Sam e seus comparsas voando lado a Laden

Vamos voar pelos ares

porque a Terra mandou a gente sussurrar perdões no ouvido divino

por termos sido tão mal agradecidos.

Vamos voar pelos ares

todos juntos, afinal somos todos irmãos

“Por que não, por que não, porque não ?”

Por que não voar pelos ares de saia justa, salto 12,

na carona de um bofe bomba, colega ?!

Vamos voar pelos ares

numa prancha coletiva colorida

e gozar o mar universal. UAU !

Vamos voar pelos ares

numa suruba geral,

orgasmos múltiplos ao som dos Stones

Vamos voar pelos ares, aos pares, degustando calamares

felizes, apaixonados.

Vamos voar pelos ares

como um filme do Fellini

de limusine só nós dois,

de limusine só nós dois, só nós dois...

Let’s spend the night togheter, now I need you more than ever,

Let´s sennd the night togheter now !

BUUUUUMMMMM !!!!!




PS. Déa, com esse post eu lembrei que estou te devendo a versão de Vingativa... vou providenciar.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Vai, vai, vai, vai...

"Por causa de umas questões paralelas" compramos passagens na GOL para essa viagem. Desde junho de 2007, que eu não viajava por essa empresa quando ocorreu o evento que pode ser lido aqui.
Apesar dos desaforos que o pessoal da GOL escreve no vídeo que eu fiz em homenagem a eles, eu pensei que após esse tempo todo eles já tivessem relevado a mágoa e esquecido esse nosso desentendimento.
Ao chegarmos no check-in da empresa, a funcionária disse que havia um problema com a nossa reserva. Perguntei que tipo de problema, ao mesmo tempo em que tirava todos os comprovantes de confirmação da reserva que tinha recebido por email há 3 meses!
A eficiente atendente da GOL não sabia informar e chamou uma supervisoraque disse que iria até a loja para ver.
A atendente perguntou onde eu tinha comprado a passagem, se a agência de viagens tinha confirmado e se estava tudo certo com o pagamento. Como eu sabia que o objetivo deles era me irritar, mantive a calma e respondi que comprei pela internet, e não por agência alguma, que paguei com o cartão de crédito, que tinha a confirmação da própria GOL, que só confirma após a liberação pela prestadora do cartão e, não que isso fizesse diferença pra GOL, a fatura do cartão já estava paga.
A supervisora retorna e fala alguma coisa pra atendente, que continua seu serviço atendendo outros passageiros. De tempos em tempos, a gente pergunta o que está havendo e a moça diz que a supervisora está ligando pra central e que está resolvendo.
Após os balcões da GOL estarem todos vazios, e não haver mais nnguém pra fazer check-in para os próximos voos, a supervisora vem e pede meu cartão de crédito, dizendo que havia um dado errado nele.
Claro que eu não acreditei nessa lorota, pois se houvesse algum dado errado no cartão a operação não teria sido confirmada em NOVEMBRO/2008. Além do mais, onde se diz que é obrigatório aapresentação do cartão de crédito para embarque? Mas eu estava de férias e tinha decidido que não iria deixar essa empresa me irritar, por isso entreguei o cartão de crédito. A supervisora foi lá dentro e voltou em poucos minutos dizendo que já estava tudo ok.
Perguntei o que houve e a resposta foi vaga: "um problema de divergência de dados". Como o embarque para o nosso voo já estava sendo realizado, não perdi tempo pedindo maiores explicações e saí com a sensação que ou aquilo foi uma vingança ou a GOL é ainda mais incompetente e desorganizada do que eu pensava.
Em qualquer das hipóteses, merece um outro vídeo. Mas por enquanto, aos senhores funcionários da GOL, continuo cantando a musiquinha que eu cantarolava durante todo o tempo de espera desse atendimento: "vai, vai, vai. vai..."

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Corrente

Engraçado como certas correntes chegam uase ao mesmo tempo no computador de todo mundo. Outras chegam aos poucos, geralmente as boas. Esse texto foi publicado em outbro do ano passado e só hoje chegou no meu email. Até onde pude rastrear, o texto riginal foi publicado no UPDATEORDIE. O autor é Neto e tem outros textos publicados nesse link.

Ei, você aí, me dá um dinheiro aí

Vou fazer um slideshow para você.
Está preparado? É comum, você já viu essas imagens antes.
Quem sabe até já se acostumou com elas.
Começa com aquelas crianças famintas da África.
Aquelas com os ossos visíveis por baixo da pele.
Aquelas com moscas nos olhos.
Os slides se sucedem.
Êxodos de populações inteiras.
Gente faminta.
Gente pobre.
Gente sem futuro.
Durante décadas, vimos essas imagens.
No Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto.
Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados.
São imagens de miséria que comovem.
São imagens que criam plataformas de governo.
Criam ONGs.
Criam entidades.
Criam movimentos sociais.
A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou em
Bogotá sensibiliza.
Ano após ano, discutiu-se o que fazer.
Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que se
sucederam nas nações mais poderosas do planeta.
Dizem que 40 bilhões de dólares seriam necessários para resolver o
problema da fome no mundo.
Resolver, capicce?
Extinguir.
Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, em
nenhum canto do planeta.
Não sei como calcularam este número.
Mas digamos que esteja subestimado.
Digamos que seja o dobro.
Ou o triplo.
Com 120 bilhões o mundo seria um lugar mais justo.
Não houve passeata, discurso político ou filosófico ou foto que sensibilizasse.
Não houve documentário, ong, lobby ou pressão que resolvesse.
Mas em uma semana, os mesmos líderes, as mesmas potências, tiraram da cartola 2.2 trilhões de dólares (700 bi nos EUA, 1.5 tri na Europa) para salvar da fome quem já estava de barriga cheia.

sábado, 7 de fevereiro de 2009

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Tom Cruise + ácido = ...

Amy Winehouse salva mulher que se afogava no Caribe

Lendo a nota inteirinha a gente consegue refazer a cena:

A chapada cantora imaginou que a mulher podia se afogar na beira da água e passou a arrastá-la pro chuveiro dizendo que estava salvando a vida dela. Daí pra mulher querer aparecer na imprensa dizendo que "foi salva" por Amy Winehouse...

Brilha, brilha, ortografia, pena que tu não és minha

E no clima do "invente, tente, faça uma reforma ortográfica diferente", encontro essa notícia:

Tom Cruise e Katie Holmes brilhão em Londres

Quem quiser conferir, vai rápido no link antes que consertem. Se não der tempo, confiem em mim que tava assim mesmo.

"Ser Feliz de Novo"

Fãs do cantor Belo são enganados em casa de espetáculos

Fãs do Belo gostam de ser enganados, do contrário não seriam "fãs do Belo".

O mais engraçado é se espantarem com a recusa dos policiais em registrar a queixa... esses fãs não viviam torcendo pro cara sair da cadeia?!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Sai lista de indicados ao Prêmio Braskem de Teatro

Divinha pra quem estou torcendo na categoria "melhor ator"?

MELHOR ATOR

Frank Menezes (O Indignado)
Hilton Cobra (Policarpo Quaresma)
Urias Lima (Um Caso de Língua)
Ely Izidoro (Teodorico Majestade)


Todos os indicados aqui

Que PI é essa?

Salvador sempre teve um público cativo de teatro que lota salas. Pelo menos, se estivermos falando de peças com atores globais. Não importa...