segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O que a Bahia não quer saber

O Correio da Bahia fez uma pesquisa para saber o gosto musical dos baianos. O resultado foi: 23% - MPB 10,5% - Pagode 8,7% - Sertanejo O Axé ficou em quarto lugar. Apesar da preferência musical pela MPB, o título da matéria foi "Pagode destrona Axé na Bahia", mostrando a real intenção da matéria. Pior, hoje, o Correio faz uma matéria em que pagodeiros dizem não acreditar que a MPB seja a preferência. Leia em CORREIO | O QUE A BAHIA QUER SABER: Música: quebradeira é uninimidade na Bahia Pois é, que pagodeiro acha que todo mundo gosta daquela desgraça, a gente já sabe, uma vez que eles tocam aquilo nas alturas impondo essa porcaria a todos. Agora, um jornal fazer campanha pelo pagode, inclusive seguindo em sentido contrário à pesquisa divulgada no próprio jornal é demais. Como o Correio pode dizer que "quebradeira" é unanimidade (e não "uninimidade" como escreveram lá), se a pesquisa mostra que MPB tem mais do dobro da preferência. A própria matéria original deveria ser "MPB destrona pagode e axé na preferência do baiano". O resto é distorção dos fatos pra vender o jornaleco de R$ 0,50.

Para Leila

Outros tempos...

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

DNAzul - Avaí FC: Bob, o namorado da Barbie

DNAzul - Avaí FC: Bob, o namorado da Barbie: "Quando o time vence, não há árbitro ruim, a imprensa não é estúpida, o jogo foi bom e os elogios são bem recebidos". (Coluna do Sr. Roberto...

Em 2004, eu já denunciava que a Barbie não era a santinha que aparentava e que colocava chifre no Ken com um amante brasileiro. (vejam mais no link: http://www.sigoadiante.com/2008/11/barbie-usa-dinheiro-e-prestgio-para.html). Agora, nesse texto acima, enviado por um leitor do blog que preferiu não se identificar para não sofrer represálias por parte da boneca multimilionária, mais uma prova dessa traição.

sábado, 13 de agosto de 2011

Feliz dia dos pais, minha mãe.

Essa semana, eu soube que o senhor Antonio Ferreira Barbosa, cujo nome consta há 40 anos na minha certidão de nascimento, declarou que eu não sou filho dele, ou algo parecido.
Certamente, ele não quis levantar dúvidas sobre a honestidade de minha mãe, nem mesmo ele seria descarado a esse ponto, e deve ter falado não do ponto de vista biológico, mas do afetivo.
A declaração me deu um certo alívio, na verdade, pois mostra que as coisas ficaram bem esclarecidas na cabeça dele.
Mas por que será que eu não tenho afeto e proximidade com o sr. Antonio Barbosa?
Será que foi por que ele, ao largar a esposa com dois filhos de 6 e 2 anos de idade, sem dar qualquer condição financeira para que esta mantivesse o aluguel da casa em que moravam, ainda vendeu o apartamento que tinham comprado e ela só descobriu quando foi receber a chave? Provavelmente, desde aquela época ele já não me enxergava como filho, pois não posso crer que ele fizesse isso com um filho (apesar de ter feito também com meu irmão, que o respeita até hoje).
Ou será que foi por que ele, ao ser aceito pela ex-esposa (em parte por pressão da família que alegava a necessidade dos filhos) com um discurso de que tinha mudado e se tornado evangélico, humilhou essa mulher com seus casos extraconjugais públicos, desprezando qualquer senso de família?
Ou será porque ele, quando sua esposa mais uma vez farta dessa situação pediu que ele saísse de casa, pois ele já tinha outra mulher, veio procurar o filho mais velho à noite, em tom de vítima, dizendo que eles estavam tendo problemas e perguntando se ele teria alguma solução. E no dia seguinte disse: "Como você não falou nada, eu vou embora", deixando um adolescente se sentindo culpado pela nova separação de seus pais?
Ou será que foi por que foi ausente só usando os filhos como parte de seus joguinhos, para se fazer de vítima diante da família ou para atazanar sua ex-esposa?
Ah, senhor Antonio Barbosa, o senhor nunca vai ler isso, mas gostaria que soubesse que já tive orgulho de chamá-lo de pai, já tive todo sentimento e ilusão que uma criança tem de que seu pai é perfeito e um modelo a ser seguido. Mas laços de sangue não são suficientes para apagar determinadas falhas e perdoar fraquezas de caráter.


Foi minha mãe quem sempre esteve ao meu lado, quem sempre me levou ao médico, quem sempre me ajudou com as lições, quem trabalhou 3 turnos para poder nos manter, quem sempre falou com meus amigos, quem sempre participou da minha vida. Ela foi meu pai e mãe e muito mais. Ela é a pessoa que eu quero homenagear nesse segundo domingo de agosto, e de setembro, outobro, novembro, dezembro... Ela foi sempre a rainha de um lar que nunca teve um rei, mas um bobo que, periodicamente, gosta de chamara  atenção sobre si se fazendo de coitado.

Há muito que não ligo pra esses assuntos e não pensaria nisso se não fosse a coincidência de saber dessa declaração dele na semana do dia dos pais.
Mas nem tudo é tão ruim. Meu irmão não tem o mesmo sentimento que eu em relação a Antonio Barbosa, e ele ainda tem duas filhas, com as quais, espero, não tenha repetido os erros que cometeu com seu filho mais velho. Então, ainda há esperança que, mesmo com um filho a menos, ele tenha um feliz dia dos pais.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

As coisas que não são ditas

Diante da morte de Flávia Anay de Lima, "namorada" de Rafael Silva, algumas coisas deixam de ser ditas, mas deveriam, para exata compreensão do que está acontecendo na sociedade.
Pra começo de conversa, o título de "namorada".Pessoas que já têm relacionamento há 3 anos e moram juntas há cerca de um ano, certamente não são apenas namorados. Mas a imprensa não pode se referir a uma garota de 16 anos como "mulher" do jogador.
Mas fica aqui a questão: esse relacionamento começou quando elea tinha 13 anos. E com 15 ela foi morar junto com ele, mudando para São Paulo. Pergunta-se: onde estavam os pais dessa criança?
Não se trata, agora, de culpar os pais que, imagino, devem estar se culpando, mas de refletir se é certo essa criação "moderna", "avançada", "descolada", onde pessoas sem qualquer preparo estão tomando decisões da vida adulta sem qualquer preparo.
Namoros infantis e juvenis se transformando em relacionamentos sérios em pouco tempo, com incentivo dos pais que não têm pulso ou são inconsequentes e deixam crianças tomarem decisões que só caberiam aos adultos.
Numa outra tragédia, da menina Eloá, então com 15 anos, foi mantida refém pelo namorado que tinha 23 anos! E já namoravam há 3, o que significa que, sob os olhos da família, uma garota de 12 anos namorava um rapaz de 20. Na minha cabeça, absurdo. Receita para infelicidade.
Ainda que não acabassem em tragédias, qual adulto sensato poderia dizer que esses relacionamentos poderiam resultar numa relação madura, estável e responsável?

Coca-Cola dá mais vida?

Não. Não vou escrever um post sobre os malefícios da Coca-Cola. Isso todo mundosabe e toma quem quer. Eu, inclusive.
Mas há um perigo oculto nas informações nutricionais dos sucos da linha Del Valle Mais, também da Coca-Cola.
Esses sucos podem ser comprados em latinhas ou em caixa. No site da Coca-Cola (http://www.cocacolabrasil.com.br/conteudos.asp?item=3&secao=36&conteudo=150) eles apresentam quatro opções do suco: Del Valle Mais, Del Valle Kapo, Del Valle Frut e Del Valle Laranja Caseira. Para cada tipo, as informações nutricionais de cada sabor e das opções light.
Para o Del Valle Mais Néctar de Uva, temos o seguinte:
Beleza. Tudo muito claro. A caixinha tem 1 litro de suco. Então, se eu tomar uma caixinha inteira, é só multiplicar esses números por 5 para saber quanto de sódio e açúcar eu estou ingerindo. Mas dificilmente a gente bebe um litro de uma só vez, então a medida de 200 ml serve para controlar.
Acontece que o suco Del Valle Mais também é vendido em latinhas de 335 ml. Aí fica mais complicado para o cidadão saber quanto está ingerindo na porção, já que, normalmente a gente bebe uma latinha inteira. Mas com uma simples regra de 3, verificamos que numa latinha tem:
Valor energético -------- 194,30 kJ
Carboidratos------------  48,57 g
Sódio-------------------    9,04 mg

Simples, não é? Mas eu comprei ontem uma latinha. E lá tinha (desculpem, não resisti) a seguinte informação:

Apesar de os carboidratos ficarem no valor previsto e o valor energético um pouco acima do indicado pelo site, a quantidade de sódio está muito elevada. 335 ml do suco traz mais do que o dobro de sódio do que a porção de 200 ml, o que é absurdo e perigoso para quem tem pressão alta e tenta controlar a ingestão de sódio. Pra confundir mais, o site assume a porção de 200 ml como sendo um copo, a latinha diz que a porção de 335ml corresponde a 1 copo e meio. Assim, se eu lesse as informações nutricionais do suco Del Valle em casa, no site, e não observasse na hora da compra da latinha, estaria ingerindo muito mais sódio do que pensava.
O site da Coca-Cola deveria tamém trazer as informações relativas às latinhas.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

KM de Aborrecimentos

Os pontos Ipiranga criaram a promoção KM de Vantagens em que você pontua para o grupo de fidelidade Multiplus (que envolve, entre outros, a TAM).
Fiz o cadastro e na primeira vez que enchi o tanque, preferi um posto Ipiranga, para aproveitar a pontuação. Após abastecer e pedir para o frentista cadastrar, esse disse que "não sabia" como fazer. Pedi pra chamar alguém, mas ele disse que o gerente não estava e que ninguém ali sabia como cadastrar nessa tal promoção.
Escrevi pro site do tal KM de Vantagens e contei toda a situação, dei o número da nota fiscal, o nome e telefone do posto, o telefone do frentista e recebi a singela informação de que "infelizmente" a pontuação só deve ser feita na hora.
Percebi, então, que se trata de uma empresa sem idoneidade, que não merece a menor confiança e decidi simplesmente que não abasteceria mais nos posto Ipiranga e dei o caso como encerrado, não sem antes mandar outra mensaqgem bem desaforada.
Meses depois da minha mensagem, recebi do site um comunicado de que eu poderia mandar cópia da nota fiscal que eles lançariam os pontos. Ora, eu já tinha jogado a nota fiscal fora e desistido de qualquer relação com Postos Ipiranga e seus parceiros, pois como dizia minha avó "quem anda com porcos, farelo come" e "quem sai com morcego, dorme de cabeça pra baixo".
Ocorre que eu passei a receber em meus emails as promoções do KM de Vantagens. Como eu não iria comprar nada desa gente (será que entregam? será que os produtos funcionam? quem quiser que arrisque, não eu), cliquei nos emails na opção para parar de receber as malas diretas. Apesar de ser direcionado para um site que perguntava o motivo (pena que o espaço era curto para eu explicar), e receber um aviso de que meu email saiu da lista, no dia seguinte eu recebi outro email.
Após fazer esse "desacdastramento" 3 vezes, resolvi escrever pra eles. Abri um protocolo no dia 04/08, que recebeu a seguinte mensagem:

Olá djaman santos barbosa

Número do Protocolo: 51202


Olá Djaman, Informamos que a sua solicitação para exclusão de seu cadastro em nosso mailing já está em andamento. Agradecemos o seu contato. 

Porém no dia 05/08, recebi outro email promocional. Espantado com a incompetência do site KM de Vantagens e dos Postos Ipiranga para retirar um simples email de sua listagem, enviei outra mensagem que foi respondida:


Número do Protocolo: 51475


Olá Djaman, Informamos que sua solicitação de descadastramento de nosso mailing já está em andamento. Solicitamos que nos envie o cupom fiscal de abastecimento que não foi acumulado, lembrando que somente serão creditados cupons de até 7 dias anteriores a data de abertura do chamado. Para anexar o arquivo, basta abrir um novo chamado em nosso Fale Conosco Online, na área Atendimento, e selecionar o assunto “crédito de km", nele aparecerá a opção para anexar um arquivo. Lembrando que o mesmo deve ser .gif, .jpg ou .bmp e ter no máximo 2mb, caso contrário não será possível visualizá-lo. Agradecemos seu contato! 

Vejam vocês que eu já havia relatado nas mensagens o mesmo que relatei aqui, que eu já havia, há muito tempo, jogado aquela merda de cupom fora, porque na época eles disseram inicialmente que nada poderiam fazer e só sugeriram que eu enviasse o cupom meses depois de minha reclamação.
Pois apesar dessa segunda mensagem, continuo a receber os email promocionais da Ipiranga/KM de Vantagens, o que demonstra total desorganização dessa empresa. Se eles são incompetentes para a simples tarefa de tirar um email do cadastro, qual a garantia que um participante vai ter de que a pontuação está sendo feita corretamente, de que os pedidos de produtos são registrados e serão entregues? Pior, qual a segurança que um site desorganizado desses pode fornecer em relação às informações de seus usuários, como CPF, nº de cartão de crédito, etc?
Vejam a imagem abaixo que comprova que continuo recbendo os emails mesmo depois das mensagens dos dias 04 e 05/08 e mesmo depois de várias tentativas de descadastrar pelo link que vem nos emails:




Quem quiser arriscar, arrisque. Não diga que não foi avisado. o site Reclame Aqui, onde consumidores podem colocar suas reclamações contra empresas que não cumprem o prometido, há reclamações sobre essa emprsa do tipo:

realizei uma compra no site de compras coletivas e não recebi o produto no prazo determinado no ato da compra, já entrei em contato duas vezes com a empresa e com a autora do livro que lá comprei e ninguém retorna minhas mensagens! não sei mais o que fazer , pois não existe nehnum telefone para contato e o pior o cupom vence no proximo mês, mas parece que não há como usá-lo visto que não ha ninguem do outro lado! parece empresa e autor "

Efetuei uma compra através da Revista Km de Vantagens em um dos Postos Ipiranga, de nome Vera Cruz em BH/MG, de um GPS Aquarius Ipiranga de valor de 449,90 em 10 x sem juros de 44,99 em 30/03/2011 no Cartão de Crédito da HiperCard de minha mãe. Deste tempo para cá, venho pagando adequadamente as faturas correspondende a esta compra. No entanto, na fatura mensal referente ao mês 07/11, na qual corresponderia a parce 03/10, aconteceu-me um estranho manejo com as devidas prestações, sendo lançado neste mesmo mês além da parcela 03 todas as outras restantes. No Extrato Mensal do Cartão, surgiu um novo parcelamento de 8x de 55,00, totalizando em 440,00 e foi acrescido o valor do produto adquirido em sua integralidade de 449,90 como crédito na fatura do cartão ensejando em um abatimento das faturas que constava também a 1ª parcela desde novo parcelamento acima mencionado. Ao chegar a fatura do Cartão neste mês, 08/11, não mas constava o parcelamento do objeto da compra em suas respectivas etapas, ou seja, a 4ª prestação do aparelho de 44,99, mas sim a 2ª deste novo financiamento de 55,00. Ao ligar para operadora do Cartão HiperCad, foi me informado que o antigo parcelamento foi cancelado, no qual foi depositado como crédito o valor total do aparelho para os devidos fins de abatimento, dando ensejo a um novo parcelamento criado pela Hermes Compra Facil cujo valor e forma torna equivocada. No intuito de maiores esclarecimento sobre esta cobrança, digo a atendente que desconheço esta cobrança, pois não havia feito desta forma, desta forma, me responde que poderia fazer uma ocorrência na qual seria examinado sua legalidade, confirmado, havia de arcar o ônus pela referida conta. Já tenso com esta situação, a mesma atendente me informa que deveria averiguar com a loja que foi efetuado a compra do porque do cancelamento e a causa deste novo parcelamento, já que foi contratado no ato da compra do produto em 10x. Não havendo portanto responsabilidade da operadora do Cartão na existencia desta nova condições de pagamento.
Quem quiser pode ler mais no site.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Abre a porta Mariquinha!

Alguém sabe dizer o nome do cd solo de Sandy?
Eu espero, pode procurar na prateleira.
Não tem? Ok, então basta dizer o nome da música carro chefe desse cd.
Ah. Vai. Alguém deve ter ouvido a música no rádio, num programa de TV, na novela. Deve ser o maior suce... não, né?
Agora, que a Sandy fez o comercial de uma cerveja chamada Devasa, vocês sabem, né? E que ela deu uma declaração dizendo que "é possível ter prazer no sexo anal"?
Pois é. É disso que é feito o mundo das celebridades. Em tese, Sandy seria uma cantora. Deveria ser conhecida por cantar. Mas isso é o que menos importa. O que vale é estar na mídia, na internet, é que se fale dela.
Celebridade não é artista. Esse, sim, vive da arte. É reconhecido pelo seu trabalho, pelo seu talento. Ou, pelo menos, deveria ser reconhecido por isso, pois muitos e bons artistas nesse país não estão na TV, nas rádios, nos post da internet. Esses espaços estão ocupados pelas celebridades, que são "pegas em flagras", devidamente combinados entre empresário e fotógrafos, que armam barracos com atuais, ex, futuros amantes, que expõem sua vida pública e depois passam dias indo a público exigindo privacidade.
Sandy deu uma declaração à Playboy. Dessa declaração, a Playboy espertamente extraiu uma frase que dá a entender que Sandy pratica sexo anal. A artista se faz de ofendida e diz que a frase foi tirada de contexto. Pra melhorar, a revista diz que Sandy disse aquilo e vai expor a gravação no site no dia do lançamento da revista. Pronto, receita pra alavancar venda e imagem da celebridade.
No fim, as palavras que foram omitidas na frase, devem ser: "Eu nuca fiz, mas acredito que..." Pronto. Sandy falou a verdade, nunca disse que praticou sexo anal. Playboy disse a verdade, a frase publicada foi dita por Sandy, todos ganham.
Será? Um público imbecial que cada vez dá mais valor a esse tipo de fofoca, que debate isso seriamente, que discute sobre liberdade de imprensa numa questão dessas, perde o senso crítico de saber quando está sendo manipulado.
E se é manipulado nas notas sobre celebridades, também pod eser no noticiário econômico, no político, no panorama geral. Todo mundo comentou nos bares da vida, quando nas despesas dos cartões corporativos apareceream despesas com móteis e vibradores. Só oposição e analista político comentam a corrupção no Ministério dos Transportes.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Para as cachorras, as ordinárias e as vagabundas!

Que fique bem claro, ninguém está tirando o dinheiro das mulheres rebolarem e esfregarem a tcheca no chão, como muitas delas estão esperneando no Bahia Meio-Dia e no Fantástico.
A proposta da deputada Luiza Maia é simplesmente que o governo do estado não contrate bandas que toquem esse tipo de música. Simples assim.
Qual a censura?
A banda será proibida de fazer show? Não.
A música da banda será impedida de constar num cd? Não.
A banda só não será contratada pelo estado da Bahia. E, como a TV Bahia e seus expoentes estão alardeando por aí que eles têm milhões de fãs, que essa arte é a que o povo quer, o povo pode ir pros shows e comprar os cds e a vida da banda está garantida.
Na verdade, o dinheiro público só deveria ser gasto para incentivar as manifestações artísticas que não tem muita popularidade, mesmo. Parece contraditório, mas não é. O investimento público nas manifestações artísticas pouco populares é a forma de garantir que essas manifestações continuem a existir. A arte não pode ficar ao sabor do gosto da maioria, sob pena de se extinguirem preciosas obras.
Nem todas as obra primas que hoje vemos foram sucesso em seus tempos. É preciso que existam independente da maioria.
As manifestações que têm grande aceitação do público podem se sustentar com o dinheiro de seus shows e venda de seus produtos. Se o povo gosta, consome e pronto. Esse país é capitalista. A intervenção do Estado nessa área deveria ser em caráter excepcional, para aqueles empreendimentos que não se sustentariam com o capital privado. Afinal, o Estado não é empresdário artístico.
O que as preparadas, as popozudas e o baile todo não conseguem perceber é que existe um interesse comercial dos grande investidores, entre eles a TV Bahia (Festival de Verão, de Inverno em Conquista, carnaval...), em pegar dinheiro público, através de leis de benfício à cultura, para usar em shows pelos quais a população acaba pagando. Ou seja, eles pegam dinheiro do governo e ganham uma nota dos ingressos, sem falar nos lucros indiretos com a exibição na TV e o patrocínio nesse horário.
Enquanto elas remexem, eles lucram.
No dia em que o presidente da TV Bahia mostrar sua mulher rebolando na boquinha da garrafa, eu ficarei convencido de que ele está preocupado em preservar a "arte" popular.

Vem debaixo do barro do chão

O brasileiro reclama da corrupção. Reclama da impunidade, da falta de penas mais duras para criminosos, mas tudo isso é hipocrisia.
O brasileiro só reclama do que o incomoda, mas ele não tem escrúpulos, não tem moral, não é honesto.
Se alguém for pego numa infração, logo alega que tem tantos políticos aí soltos, qustionam por que a polícia não vai prender os assassinos, etc. Como se uma coisa invalidasse a outra.
O brasileiro não é honesto.
Os dois casos de atletas pegos em dopping recentemente deixam isso bem claro. Torcedores, fãs e até a imprensa desejaram boa sorte a Jobson e comemoraram que Cesar Cielo recebeu apenas uma advertência.
O fato de terem usado substâncias ilegais no meio esportivo, não atinge ninguém. O importante é sair ileso.
No caso de Jobson, a imprensa baiana mostrou o seu drama, ressaltou sua história de superação com as drogas e flagrantemente deseja que ele seja absolvido.
No caso do nadador, a coisa foi ainda pior. A imprensa ajudou a divulgar a farsa da defesa de que a farmácia teria assumido a contaminação do medicamento (Farmácia assume culpa por doping de Cielo), fato que nunca aconteceu (Farmácia acusada em doping de Cielo rebate defesa do nadador) . Ou seja, a imprensa não se limitou a "torcer" mas agiu com intuito de defender o esportista infrator.
O que todos parecem não saber é que, intencionalmente ou não, vítimas de de circusntância ou não, esses esportistas fizeram uso de substâncias que influenciaram no seu desempenho, sendo desleal com os concorrentes.
Não é à toa que vários nadadores vaiaram Cesar Cielo no últimop campeonato mundial (Bicampeão em Xangai, Cesar Cielo recebe vaias e críticas da Federação Internacional de Natação).
Desonestos existem no mundo todo. Mas o que falta no Brasil é a real dimensão do que é honesto ou não. Aqui, a pessoa acha certo o que lhe beneficia e errado o que lhe prejudica. E só.


Que PI é essa?

Salvador sempre teve um público cativo de teatro que lota salas. Pelo menos, se estivermos falando de peças com atores globais. Não importa...