Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2013

Quero morrer numa batucada de bamba

Que me desculpem os jornalistas, médicos, advogados, promotores, juízes e o público em geral, mas se forem verdadeiros os depoimentos das testemunhas de acusação, a Dra. Virgínia Helena não cometeu eutanásia. Pelo menos, não nesses pacientes relacionados nas matérias e dos quais a estão acusando de ter matado.

Em primeiro lugar, o código penal brasileiro em vigor, salvo engano e que me socorram os advogados, não trata de eutanásia. Trata de homicídio, de auxiliar suicídio, etc.
Então, do ponto de vista criminal, ela só poderia ter cometido ou crime de homicídio ou o crime de "induzimento, instigação ou auxílio a suicídio", a depender do ato que praticou.

Mas fora do âmbito penal, também não se pode falar em eutanásia para o caso, repito, a se julgarem verdadeiros os relatos da acusação.

Primeiro, vou tentar resumir um pouco o que entendo sobre o assunto e dessa vez que me socorram os médicos se eu estiver errado. Eutanásia consiste em abreviar a vida de um paciente incurável…

Verdades e mentiras

No país das impunidades, os justiceiros costumam apontar seus dedos indicadores e gritar "bruxa", como se isso resolvesse todos os problemas.  Não resolve e ainda ajuda a não combater as verdadeiras causas dos problemas.
A prisão dos integrantes da banda envolvida no aciednete da Boate Kiss é absurda. Não se admite prisão preventiva em crime culposo, que é o que realmente aconteceu (a menos que o paradeiro do acusado seja desconhecido). Para "driblar" isso, a acusação foi de dolo eventual.  Ora, para se pensar em dolo eventual, teríamos que assumir que os músicos sabiam (ou deveriam saber) que o teto era coberto de material altamente inflamável, que a distância era pouca e mesmo assim acenderam o artefato. Temos que considerar que o risco era presumível. É razoável imaginar, e o fato de várias pessoas teremn morridio e a comoção popular não pode mudar isso, que os músicos não imaginaram ser possível que o teto pegasse fogo. Talvez nunca tivessem reparado qual o tipo d…

Quem é contra o povo curte

A recente campanha contra Renan Calheiros para presidente do Senado é muito estranha.

Primeiro que a campanha circula no Facebook, entre pessoas que não possuem voto algum no Senado.

Segundo que os motivos alegados para que Renan Calheiros não seja presidente são motivos para que ele não seja sequer senador ou que exerça qualquer cargo público.

Ou seja, se Renan está apto, do ponto de vista legal, para ser senador, também o está do para ser presidente do Senado.

Do ponto de vista moral, ao invés de pedir que outros senadores votem em Renan para presidente do Senado , as pessoas não deveriam ter votado nele para senador.

Se partimos do princípio que o sistema eleitoral brasileiro é correto e que os eleitos representam a vontade da maioria da população, Renan Calheiros é um legitimo representante do povo e qualquer ataque a ele, é um ataque ao povo que o elegeu. Boicotá-lo seria retirar os direitos da população de determinado estado que votou nele dentro das regras estabelecidas pe…