Vem debaixo do barro do chão

O brasileiro reclama da corrupção. Reclama da impunidade, da falta de penas mais duras para criminosos, mas tudo isso é hipocrisia.
O brasileiro só reclama do que o incomoda, mas ele não tem escrúpulos, não tem moral, não é honesto.
Se alguém for pego numa infração, logo alega que tem tantos políticos aí soltos, qustionam por que a polícia não vai prender os assassinos, etc. Como se uma coisa invalidasse a outra.
O brasileiro não é honesto.
Os dois casos de atletas pegos em dopping recentemente deixam isso bem claro. Torcedores, fãs e até a imprensa desejaram boa sorte a Jobson e comemoraram que Cesar Cielo recebeu apenas uma advertência.
O fato de terem usado substâncias ilegais no meio esportivo, não atinge ninguém. O importante é sair ileso.
No caso de Jobson, a imprensa baiana mostrou o seu drama, ressaltou sua história de superação com as drogas e flagrantemente deseja que ele seja absolvido.
No caso do nadador, a coisa foi ainda pior. A imprensa ajudou a divulgar a farsa da defesa de que a farmácia teria assumido a contaminação do medicamento (Farmácia assume culpa por doping de Cielo), fato que nunca aconteceu (Farmácia acusada em doping de Cielo rebate defesa do nadador) . Ou seja, a imprensa não se limitou a "torcer" mas agiu com intuito de defender o esportista infrator.
O que todos parecem não saber é que, intencionalmente ou não, vítimas de de circusntância ou não, esses esportistas fizeram uso de substâncias que influenciaram no seu desempenho, sendo desleal com os concorrentes.
Não é à toa que vários nadadores vaiaram Cesar Cielo no últimop campeonato mundial (Bicampeão em Xangai, Cesar Cielo recebe vaias e críticas da Federação Internacional de Natação).
Desonestos existem no mundo todo. Mas o que falta no Brasil é a real dimensão do que é honesto ou não. Aqui, a pessoa acha certo o que lhe beneficia e errado o que lhe prejudica. E só.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

Respeito póstumo

Então não vamos mais brigar