Abriram a gaiola

Ainda nem começou a peça A Gaiola das Loucas e uma cena se desenrola na minha frente.
Numa fileira de cadeiras avulsas, sem braços e não numeradas, uma mãe eseus três filhos se espremem em apenas 3 cadeiras contra um casal que resiste bravamente àquela invasão.
A mãe alega que comprou 4 cadeiras. A mulher alega que estava guardando o lugar do marido.
Evidentemente, se cada pessoa entrasse, sentasse em seu lugar e ficasse quieto, essa confusão não teria acontecido, ainda mais que o lugar deles não é marcado.
O marido resolveu sair e ir pra outra cadeira.
A esposa continua no lugar. A mãe foi chamar alguém.
A moça da produção diz que é uma pessoa por cadeira e que tem mais cadeiras espalhadas.
Tá certa. Não vi como começou a confusão, mas é fato que o casal não poderia ter sentado nas cadeiras se elas estivessem ocupadas. Além do mais, pra quê essas crianças querem ficar todas juntas?
Bom. A esposa foi atras do marido e o menino praticamente escorregou pra cadeira dela.


Pelo celular: Djaman Barbosa.

Comentários

  1. AH... Como eu gostaria que tu fosse o presidente para termos aquela lei que só pode sair de casa quem tem carteira de motorista...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados, mas não são censurados. Caso seu comentário não vá ser exibido, uma explicação será dada.

Postagens mais visitadas deste blog

Então não vamos mais brigar

Respeito póstumo

O vento que venta aqui