Então não vamos mais brigar

No episódio de hoje, aprendemos que se você for branco, de olhos claros e "Global", vai ter um monte de gente disposta a entender os "porquês" que o levaram a cometer desatinos.

Diariamente, nas TVs, são exibidas pessoas acusadas de crimes e delitos. Essas imagens são feitas dentro das delegacias, mesmo sem a certeza de que a pessoa tenha realmente feito aquilo de que a acusam. Mas ainda assim, está lá, sem a solidariedade das pessoas da internet, sem a busca de entender os problemas que levaram aquela pessoa a praticar aquele ato, se é que praticaram.

Mas quando o ator da Globo foi exposto em um vídeo, logo choveram argumentos na internet em sua defesa. Em minha timeline, alguns que eu vi:

1 - "Eu o conheço e ele é gentil". Esse argumento é dito sobre várias pessoas que cometem delito, sem que, no entanto, as demais pessoas se comovam ou relevem o que a pessoa fez. Pepita Rodrigues, por exemplo, dizia sempre isso do filho, apesar das imagens em que ele ameaça João Gordo, ou das acusações de agressões de suas ex-namoradas. O fato de uma pessoa ser gentil com alguns, não quer dizer que ele não seja agressivo com outros. Até mulheres vítimas de relacionamentos abusivos chegam a ressaltar as virtudes dos seus agressores, imaginem.

2 - "Não se pode beber além da conta em comemoração". Pode. Você pode beber além da conta, você pode cheirar além da conta, você pode fumar, foder, correr, comer, ler, dormir, enfim, fazer o que você quiser, além da conta. Desde que você, e só você, assuma as consequências dos seus atos. O que não pode é, por querer se divertir, ser agressivo, arrogante, prepotente. Não pode procurar briga com as pessoas, não pode agredir as pessoas no hospital, não pode quebrar viatura.

3 - "Invasão de privacidade". Nada do que Fábio Assunção fez foi em local privado. A festa era na rua, depois foi em um hospital e por fim, numa viatura, na rua. Não há qualquer imagem dele na delegacia, nenhum repórter teve acesso a ele lá dentro, algemado e sem poder escapar do microfone enfiado na cara, como as pessoas que citei acima. Qualquer briga doméstica de famoso, acontecida em local privado, é logo exposta na internet, sob o julgamento de todos, mesmo sem ter visto o que aconteceu. Que o diga o cantor sertanejo Victor. Ninguém se preocupou com a privacidade dele.

4 - "Ele é dependente de drogas". Único argumento que faria algum sentido, se Fábio Assunção estivesse sob efeito de drogas, o que foi negado.

5 - "Ele é dependente de álcool". Bom, aí, já vejo que muito privam da intimidade de Fábio Assunção, já que eu não sabia disso. Mas vamos aos fatos. Essa consideração é feita quando o sujeito dirige embriagado e atropela alguém? Lógico, estou falando de uma consequência muito mais grave, mas se considerarmos que quem bebe é dependente e não teve a escolha de não beber, como parecem crer que foi o caso dele, a culpa é a mesma. E o Jeremias ("Foi o cão que botou pra nós beber")? E as estudantes de direito bêbadas? Seus vídeos viralizaram, todos riram e ninguém se preocupou em saber de seus problemas com álcool. E quando não for álcool? Será que a médica que seguiu enfurecida o motoqueiro que bateu em seu carro com o capacete e acabou causando um acidente que resultou na morte dele e da carona, não estava sob forte stress? Poderia ela estar alterada pela TPM e por isso resultou naquela reação? Ninguém quis saber disso. E vejam que a mulher foi indiciada por homicídio DOLOSO. Ou seja, assumiram que ela os matou com a intenção.

A verdade é uma só. O drama de Fábio Assunção não é maior do que o de ninguém. O fato de ele ser famoso só faz com que as pessoas exagerem dos dois lados: tanto para os que querem que ele seja enforcado em praça pública por ter cometido baderna e dano ao patrimônio público, quando aos que o consideram a vítima. Por ser gentil e simpático, muitas pessoas fecham os olhos para o fato de ele encher a cara e procurar briga em uma festa (aliás, já vi dois comentários que duvidam de que o fato aconteceu, ou seja, preferem crer que as pessoas da festa, do hospital, da polícia são mentirosas e que as imagens dos vídeos são falsas). Se ele é dependente de álcool, não me parece estar naquele estágio em que vive bêbado, já que trabalha normalmente. Nem parece ter chegado ao ponto de fugir para beber sozinho. Então, por que enquanto estava sóbrio e na companhia de amigos e da namorada, aceitou ir para uma festa em que tinha bebidas, começar a beber até chegar àquele ponto? Onde estavam esses amigos todos de Fábio Assunção, no momento do primeiro gole?

Pra mim, não há grandes fatos aí. Alguém que encheu a cara e procura briga com todo mundo, destratando as pessoas. Que os amigos sejam solidários com sua situação é mais do que esperado, prova que são amigos. Mas sejam honestos. Não venham com argumentos humanitários que não são usados para outros. Digam simplesmente: gente, não compartilhem isso aqui, porque o cara é meu amigo, eu gosto dele e estou sentindo por ele. Pronto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Respeito póstumo

O vento que venta aqui