Lepo Lepo

Ok. Você venceu. Lepo Lepo é uma música de uma pobreza tremenda. Um lixo. Uma péssima representante da cultura brasileira. Afinal, nós temos uma tradição de músicas elaboradas de carnaval. De letras rebuscadas, de grandes pensadores. Coisas como "mamãe eu quero, mamãe eu quero, mamãe eu quero mamar. Dá a chupeta, dá a chupeta, dá a chupeta pro beber não chorar." E quem sabe aquela outra, que tantos valores morais transmitiam para as crianças, jovens e para a sociedade em geral, que dizia "as águas vão rolar, garrafa cheia eu não quero ver sobrar, eu meto a mão na saca, saca, saca-rolha e bebo até me afogar. Deixa as águas rolar". E não podemos esquecer daquele carnaval, em que preocupados em passar conceitos sobre a economia do país, cantávamos "ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí" e continuávamos nesse tratado de sociologia que explicava o surgimento da violência "não vai dar, não vai dar não, você vai ver a grande confusão, eu vou beber, beber até cair, me dá, me dá , me dá, oi me dá um dinheiro aí".
Realmente, Márcio Vitor não é digno de figurar entre essas letras, afinal, como sabemos, música de carnaval tem valor de Hino Nacional. Ela é para ser tocada nas solenidades em que o país participa internacionalmente e não pode ser qualquer letra.
Ahhhhh, bons tempos em que as letras de carnaval não eram essas bobagens de hoje, mas transmitiam verdadeiros ensinamentos. Coisas como:

Criaram-se vários reinados
O Ponto de Imerinas ficou consagrado
Rambozalama o vetor saudável



O que, ou quem é Rambozalama? O que é um vetor saudável?
Ivato cidade sagrada

A rainha Ranavalona
Qual Ranavalona? Existiram 3. Mas como as duas últimas tinha cargo meramente simbólico pois quem governava era o Primeiro-ministro, admitamos que seja a primeira.
Destaca-se na vida e na mocidade
A mocidade não faz parte da vida?
Majestosa negra
Soberana da sociedade
Deve ser mesmo a primeira, pois era a verdadeira soberana. Conhecida como "Messalina Moderna", "Bloody Mary de Madagascar", "A Rainha Mais Louca da História", "Rainha Demente de Madagascar" e "Calígula Feminina". Bom, se for a segunda, era conhecida como Ranavalona, a Cruel. E a terceira assinou um tratado com a França dando-lhe vários direitos o que acabou sendo usado para considerar Madagascar como um protetorado. Ou seja, quão soberanas e majestosas são qualquer uma das três.


Alienado pelos seus poderes
Rei Radama foi considerado
Um verdadeiro Meiji
Que levava seu reino a bailar
Esse rei era um alienado e levava o reino a bailar. Por conta disso foi considerado um Meiji, indicando que, de uma forma que só o autor da música sabe, Madagascar fez parte do Japão em algum momento da história.

Bantos, indonésios, árabes
Se integram à cultura malgaxe
Raça varonil alastrando-se pelo Brasil
Alguém pode dizer onde?
Sankara Vatolay
Faz deslumbrar toda nação
Merinas, povos, tradição
E os mazimbas foram vencidos pela invenção
Mazimba é na Tanzânia... mas se Madgascar já foi anexada ao Japão, por que não? Agora, que tal invenção é essa? Não sabemos. Só nos resta cantar essa letra, muito mais culta do que o Lepo Lepo:

 Iêêê Sakalavas oná ê
Iááá Sakalavas oná á
Iêêê Sakalavas oná ê
Iááá Sakalavas oná á
Madagascar, ilha, ilha do amor
Madagascar, ilha, ilha do amor
Madagascar, ilha, ilha do amor
Madagascar, ilha, ilha do amor

 

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

A carne mais barata do mercado...

Respeito póstumo