Se você soubesse quem você é

Todo mundo tem direito a não gostar de e a não querer ver BBB. 

Também é legítimo quem acha que o programa tem pouca ou nenhuma relevância cultural e que é perda de tempo comentar as "polêmicas" do programa. 

Mas é inegável que as pessoas que ali estão, quer "sendo elas mesmas", quer "fazendo jogo", ainda que não sejam a melhor amostra da população brasileira, procuram se comportar da maneira que elas acham aceitável pelos brasileiros. 

O episódio do rapaz que tomou banho nu é emblemático. No Brasil da Globeleza, das escolas de samba, o reality show é um dos únicos, senão o único, onde os participantes não tomam banho sem roupa. 

Logo aqui, onde a tradição dos vários banhos diários é uma instituição. 

Em edições anteriores do BBB, ex-participantes de programas estrangeiros já cometeram a "gafe" de tomar banho como a boa higiene exige. 

Pois quando um participante tomou banho nu, isso serviu de motivo não apenas de ser recriminado pela casa, mas também pelo público. Isso revela a hipocrisia desse país, um puritanismo ridículo que condena um gesto desse e aceita falsidade, por exemplo. 

Não deixa de ser engraçado que a condenação do banho nu veio de quem exibe bundas e peitos na piscina, coxas e bíceps na academia e pretende exibir mais nas revistas, tão logo saia do programa. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

A carne mais barata do mercado...

Respeito póstumo