Gemendo, morrendo e sentindo dor

3 mulheres foram assassinadas nesse fim de semana por ex-namorado, ex-marido e marido.
A Bahia ocupa o 8° lugar no ranking nacional de assassinato contra mulheres. Suponho que essa estatística se refira especificamente aos casos em que a mulher foi morta em crimes "domésticos", não incluindo assassinatos em decorrência de assaltos, acidentes de trânsito, etc.
É impressão minha ou notícias com esse tipo de crime têm surgido com mais frequência ultimamente?
Acredito não ser coincidência que isso ocorra após conquistas importantes para a mulher como a Lei Maria da Penha.
É a mesma coisa que ocorre com crimes contra homossexuais que parecem mais frequentes em época em que paradas gays ganham espaço na mídia.
Parece contraditório, mas acho que as duas razões são:
- Primeiro, a mídia começa a não achar natural esse tipo de crime e, se antes para ganhar manchetes, o homem tinha que matar a mulher, esquartejar e despachar os pedaços pelo Correio, confiando que essa encomenda nunca chegaria ao destino, hoje já há a compreensão de que o crime contra a mulher por motivos de ciúmes, decorrente de traição ou por qualquer motivo que o marido ou namorado possa achar, não é algo comum, banal ou um fato da vida. Daí a divulgação de cada caso como algo chocante e digno de ser noticiado.
- O segundo ponto é a reação daquele que se sente desconfortável com a nova situação da mulher, com seus ganhos de direito e com a nova forma do direito proteger a mulher. Esse homem que mal se acostumou ao espaço conquistado pela mulher na sociedade, cada vez menos consegue lidar com a postura dela na relação entre eles. Ele até admite que ela trabalhe fora, e quem sabe aprenda a lidar com o fato de ela ganhar mais, desde que continue a se comportar como propriedade dele.
Esse aumento nas reações desses homens é até natural e explicável. O que é anti-natural e nem se explica é ser um desses homens machista, possessivo e incapaz de ver um outro ser humano como "ser" e como "humano".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

A carne mais barata do mercado...

Respeito póstumo