Se Ocupa, Salvador II

Trânsito modificado. Linhas de ônibus alteradas. Permissão de estacionamento ao longo da Paralela. 40 agentes de trânsito trabalhando à noite.
Isso tudo para um evento privado, onde não há palcos públicos, nem espaços "sem cordas".
Em nenhum momento foi divulgada qualquer contrapartida ao município por todo esse investimento, a não ser o famoso e vago "incremento ao turismo".
A população paga com os custos públicos (quanto custará o adicional noturno desses agentes da Transalvador, que sequer são encontrados nas demais noites do ano?) e com a perda de serviços ( alguém acredita que essas novas linhas de ônibus serão acréscimos às já existentes?). Apesar disso, o povo, que fez uma gritaria com o horário de verão, pelos riscos de sair mais cedo de casa, não se incomoda de voltar 3, 4 ou 5 horas da manhã.
E cadê a campanha no Facebook? Os descolados, artistas e moderninhos soteropolitanos não têm coragem de levantar a voz contra o evento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

Respeito póstumo

Então não vamos mais brigar