Money makes the world go around

Mais do que possuir dinheiro, o que faz os ricos do Brasil se darem melhor do que os lenhados, é porque os ricos sabem o valor do dinheiro. Eles têm a exata dimensão do quanto dinheiro é importante para quem pode resolver as coisas.
Os pobres, a classe média, as minorias, os oprimidos, os libertários, os idealistas, ah, esses vivem esperando "ajuda", ou um político honesto, ou que Deus toque no coração de alguém, ou um governante idealista.
Ora, por mais que os ricos desse país sejam muito ricos, há um limite para a quantidade de bens que eles podem adquirir. Eike Batista pode encher o rabo de dinheiro, mas não dá conta de toda produção de papel higiênico nacional, por exemplo. Eles precisam da classe média e baixa, com suas constantes diarréias, para sobreviver.
Mas não nos apercebemos disso. Queremos que nosso país, assumidamente capitalista, comporte-se como socialista. Mas sem perdemos nossos iPads e TV's de LCD no processo.
Queremos abraçar o cinema do Bahiano de Tênis e impedir o empresário de exercer seu direito legitimo de usar sua propriedade privada. Ora, se o dono da Perini não achar que pode ter lucro mantendo o cinema, ou prejuízo com um boicote, caso o feche, porque ele vai agir diferente?
Já os intelectuais espernearam, fizeram beicinho, mas não ouvi dizer que ninguém se comprometeu a não comprar pasta tingida de polvo ou pistache lá na Perini.
Ao invés de protestos, deveriam ir aos outros cinemas do circuito de arte e adquirir produtos de seus apoiadores, para que as empresas vissem que vale a pena.

Quando a atriz Patricia Rammos foi discriminada pela Farmácia Sant'Anna da Graça, acusada de roubo por ser negra e não encontrou a proteção devida no judiciário, eu resolvi não comprar mais lá. Imaginem se todos que soubessem do caso e achassem isso um absurdo resolvesse fazer o mesmo? Nem todas as enxaquecas e hipocondria das dondocas da Graça seriam suficiente para mantê-la. Mas o Brasil não faz ações assim.
Em São Paulo a polícia não tem dado a devida atenção às agressões a homossexuais, além disso a câmara de vereadores aprovou o "dia do orgulho hetero" para denunciar os "privilégios" que os gays têm. Ora, pq então não suspender a parada um ano, deixando que comerciantes, hotéis e taxistas exijam do governo essa fonte de lucro? Ao invés disso, deveriam prestigiar a do Rio de Janeiro, cujo governador foi o autor da ação que resultou no reconhecimento das relações homoafetivas pelo Supremo.
A empresa foi flagrada dando propina para o político pra ganhar licitação superfaturada? Não adianta ficha limpa, conselho de ética, etc. Boicote aos produtos dessa empresa. Elas sempre tem um braço em seu grupo que fazem produtos que utilizamos.

É assim que o mundo capitalista funciona, não por esmolas ou caridade.

Pelo iPhone

Location:R. Francisco Jorge,Salvador,Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

A carne mais barata do mercado...

Respeito póstumo