De Mendelssohn a Chopin

Todo mundo já leu ou viu na TV sobre a tragédia no casamento em Pernambuco. Entre todos os comentários que são feitos, acho que as questões mais importantes a serem elucidadas são:

1 - Onde foi parar a arma do crime?
O delegado, do alto da sabedoria que só um delegado pode ter, disse que: "a tendência após um suicídio é de a arma permanecer na mão de quem atirou".
Ainda que esse suícidio seja moderninho e não queira seguir tendências, parece claro que não foi o criminoso quem ocultou a arma. Provavelmente, foi o dono da arma. Provavelmente, por ela ser ilegal.

2 - Qual o motivo do crime?
Que esse crime foi passional, apenas uma grande reviravolta poderia negar. A família até tentou dizer que os tiros no padrinho foram ao acaso, que o noivo atirou a esmo e acertou no padrinho. Bom, não é o que esses depoimentos dizem:

"Ele atirou e pegou no meu rosto. Depois, ele correu atrás do amigo".

Porém, todos garantem que o tal Marcelo não tinha nenhum caso com a noiva. Então tá. Com a noiva, não... Já entendemos. Tudo certo... Marcelo, então, não tinha caso com a noiva, né? Hmmmm, entendi. Deixa eu ver... Não tinha nenhum caso com A NOIVA. OK.

3 - Por último, mas não menos importante. A dúvida que mais me aflige. Que conselho Glória Kalil daria para o gerente da loja de trajes cobrar por aqueles ternos alugados e sujos de sangue, de uma forma elegante?

Comentários

  1. MUITO BOM ! Adorei o seu blog ! Visite o meu blog sobre tênis e retribua o comentário ! : breakpointbrasil.blogspot.com/ - SIGA MEU BLOG E MEU TWITTER, que eu sigo o seu de volta !twitter @breakpointbr, caso queira seguir. Se puder me LISTE :-)

    Obrigado !

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados, mas não são censurados. Caso seu comentário não vá ser exibido, uma explicação será dada.

Postagens mais visitadas deste blog

Então não vamos mais brigar

Respeito póstumo

O vento que venta aqui