Waldemar Dias - Mesário 4Ever




Vocês já devem ter visto o vídeo acima na TV. Waldemar Dias fala com orgulho de sua experiência como mesário. Faz com que pessoas como eu, que não dão a menor bola pra trabalhar de graça para o TRE em troca de um sanduiche e um copo de suco, se sintam mal por não ter tal espírito cívico.
Quase todos os comentários do Youtube são contrários ao serviço de mesário. Dizem que o tal Waldemar Dias deve ser um ator que foi pago pra dizer aquelas coisas. Boa parte da insatisfação com a idéia de trabalhar de graça é o descrédito das pessoas com a classe política desse país. As pessoas sentem como se estivessem trabalhando para os políticos e não para a nação.
Fui atrás desse exemplo de cidadão, que tem um espírito tão desprendido, e descobri que Waldemar Dias é ator. Parece que o pessoal do Youtube estava certo afinal.
Conversei com Waldemar e ele garante que já trabalhou em 03 eleições, que realmente gosta e que só não vai trabalhar nessa porque vai casar na véspera.
Fiquei meio com o pé atrás. Será que ele está sendo sincero? Ou será que leva à sério os papéis que interpreta? Vou dar um voto de confiança e acreditar que foi mera coincidência o dedicado cidadão ser um ator.
No final da propaganda, Waldemar Dias diz: "se tivesse que fazer de novo, eu faria".
Ora, nada impede que Waldemar faça tudo de novo. Tudo bem, vamos liberá-lo esse ano para a lua de mel, mas a partir da próxima eleição, o TSE deve convocá-lo para todas as eleições, sob pena de acharmos que essa propaganda é mentirosa. Afinal, por que não convocar alguém que declarou que quer ser convocado, para convocar quem não quer?
No orkut, criei uma comunidade para isso: vejamos quem concorda.

Além disso, acho que devemos mandar email para o TSE: tal patriotismo e dedicação desse brasileiro não pode ser desperdiçada! Eleição após eleição, Waldemar Dias deve ser convocado para ir pra zona eleitoral.
Clique aqui para mandar a mensagem pro TSE.
Abaixo, uma sugestão de texto:
"Vi na TV e no site do TSE a campanha em que o cidadão Waldemar Dias diz do seu orgulho em ser mesário e que se tivesse que fazer de novo, faria. Considerando que muitos brasileiros são convocados repetidas vezes para serem mesários, e muitos não sentem o mesmo orgulho que o Sr. Waldemar, e diante do desejo desse cidadão em tornar a servir o Estado, por que ele não é reconvocado repetidamente para a tarefa, enquanto que outros que não tem o mesmo sentimento o é? Não seria mais justo, lógico e melhor pro serviço eleitoral, que pessoas que gostam de prestar esse serviço sejam reconvocadas, enquanto que pessoas que não tem tal dever cívico, sejam dispensadas desse serviço? Por que o TSE não o convoca sempre, já que ele disse em público que quer trabalhar novamente na eleição? Ou a propaganda do TSE é uma farsa e ele foi um ator contratado apenas para dizer isso?"

Bom, que depois não digam que eu não contribuo com o processo eleitoral desse país.

A campanha mal começou e o vídeo utilizado nesta postagem foi removido do Youtube. Foi removido pelo próprio usuário que tinha colocado, quem será? Bom, pra minha sorte, eu sempre separo todo o material que vou trabalhar e guardo uma cópia no meu micro. Que bom, né? Já coloquei o vídeo de novo no Youtube

Comentários

  1. Nós cidadão somos "convocados" a trabalhar nas eleições. É lei.Infelizmente, não temos muitas opções para fugir deste trabalho. E é claro que ninguém gosta de trabalhar para 'a nação' em pleno domingo, que seria um dia de descanso.
    Os filmes publicitários, seja para o governo ou para qualquer produto comercial, são elaborados e o texto vem pronto para o ator decorar, e gravar.
    O ator não interfere no texto. Apenas faz o que está sendo pago para fazer.
    E a função de um ator - principalmente o ator de publicidade - é passar VERDADE, e credibilidade ao produto ( repetindo: seja o produto um eletrodoméstico, ou o governo).

    Talvez por isso você esteja indignado que alguém possa ter dito este texto do TSE com tanta verdade.
    Calma, é APENAS um comercial.
    Pricisamos ter discernimento para separar o cidadão do ator.
    Se for assim vamos começar a achar que a Taís Araújo, que faz a novela Viver Vida, fez um aborto na vida real, igual a sua personagem Helena! Pelo amor de Deus, né?!?

    ResponderExcluir
  2. Cara Priscila, acredito ter um certo discernimento entre realidade e ficção. Também sei a função da propaganda e uma leve noção do que é um trabalho de um ator.

    Quando Taís Araújo fez um aborto na novela, ela interpretava a personagem Helena. Quando Waldemar Dias fez o comercial do TSE, ele disse: EU SOU WALDEMAR DIAS. Ele se apresentou como um cidadão, e não como uma personagem. O fato de ele ser ator não exime sua responsabilidade com a veracidade do que ele disse, pois ele se apresentou como pessoa e não como personagem.
    Quando Fábio Assunção disse ser usuário de drogas, significa que ele não era usuário por que ele é um ator? Claro que não.

    Aqui na Bahia, a camapanha de Wagner foi apresentada por uma amiga, Débora Santiago, com muita competência, por sinal. Ali, ela fazia um tarbalho de atriz. Nunca pensei em discutir minhas divergências entre o que acreditava sobre o PT e o que Débora dizia no comercial, pois sabia que era um texto que ela lia. Diferentemente de quando Tereza Rachel e Claudia Raia apoiaram Fernando Collor, e o fizeram como elas mesmas, e não trabalhando como atrizes. Elas apoiaram, como cidadãs que são, um pensamento que acreditavam.

    Assim, repito, quando Waldemar Dias se apresenta como tal, não se pode dizer que ele está interpretando. Se o TSE queria criar uma personagem ficitícia do mesário satisfeito, que fizesse isso, mas quem apareceu na tela foi uma pessoa que se apresentou com seu nome verdadeiro e fez aquelas declarações. Ok?

    ResponderExcluir
  3. Em tempo: não tenho nenhuma indignação com a postura de Waldemar Dias. Quer o texto seja dele, quer seja criado por uma agência e ele competentemente interpretou, peca por essa questão, porque ele diz que faria tudo de novo "SE" tivesse que fazer? Por que a condicional? As pessoas podem ser mesário quantas vezes quiserem, até porque há falta de mesários e até uma campanha para mesários voluntários. Não haveria porque o Waldemar, real ou personagem, lamentar não ser mais mesário. Que seja! Por anos e anos, já que gosta.
    Em momento algum desmereço quer a vontade dele em ser mesário, quer seu trabalho como ator, se ele apenas interpretou. Falei de Waldemar Dias, como falaria de Araken, o Show Men; do Baixinho da Kaiser; do Ted Tigre; do Bráulio; do Sugismundo. Nada contra o ator. Se ali foi apenas um papel, a campanha vale pro Waldemar fictício, também.
    A proposta da campanha é uma piada, entendeu? Ninguém acha que o TSE vai nomear Waldemar para mesário a vida toda. Se bem que deveria...
    Mas mesmo que o TSE levasse a sério, não seria pra essa eleição, não se preoucupe, não pretendo que sua lua-de-mel seja na zona eleitoral... rsrsrsrsrsrs.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Adorei suas colocações à respeito do vídeo, acho interessante a repercussão que um comercial de tv trás às pessoas "inteligentes" Falo isso não por esse comercial especificamente. As mensagens que são transmitidas, sem sombra de dúvidas são inteligentissimas. Gostei

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados, mas não são censurados. Caso seu comentário não vá ser exibido, uma explicação será dada.

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

A carne mais barata do mercado...

Respeito póstumo