Pela vidraça eu via

Aqui estou eu, no hospital, esperando atendimento de urgência, porém não emergência, espero.
Na TV uma matéria sobre os Nardoni. Ao meu lado uma mulher puxa assunto:
- Acho que eles vão ser absolvidos.
(pausa para ela perceber que eu não tava a fim de falar)
- O que você acha?
- Não. (que poderia significar "não acho que eles vão ser absorvidos" ou "não quero falar com uma completa estranha enquanto aguardo atendimento na urgência").
- Como não? Eles não confessaram. São primários. Você vai ver.
(pausa significando "os seus dotes como advogada de defesa não me importam nem um pouco. Me deixe em paz)
No momento ela tenta ler o que escrevo aqui.



Pelo celular: Djaman Barbosa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

A carne mais barata do mercado...

Respeito póstumo