Então fica certo assim. A gente finge que os terremotos, tsunamis, chuvas torrenciais e desabamentos não têm relação alguma com a gente e continuamos atônitos com os desígnios secretos de um deus criado para atender nossa necessidade de não nos sentirmos responsabilizados.
Enquanto isso levemos nossa vidinha comum, utilizando plástico como nunca, gastando papel como se fosse criado do nada, exterminando animais como se a dor que eles sentem fosse o único pequeno incoveniente para satisfazer nosso prazer de carne e couro.
Para caracterizar nossa surpresa: repitamos periodicamente que está quente como nunca; que nunca choveu assim nessa época do ano em determinada região, e arrematemos dizendo que o clima está louco.
Louco como eram loucos aqueles que alertavam, nos anos 80, para o fantasioso efeito estufa, ameaça climática que só ganhou um certo crédito quando uma equipe de marketing resolveu rebatizá-la com o nome mais chique de aquecimento global.
Mas não vai ser um calorzinho de nada que vai nos obrigar a sair de casa carregando sacola de pano, não é?
E beber água em copo de vidro no escritório? Tão anos 70!
E não se peça a alguém pra cometer o sacrifício supremo de ler seus email direto na tela, sem imprimir, o que quer que seja, em duas ou três folhas de papel: desde uma piada de um amigo, uma receita que será feita uma só vez ou uma notícia sobre o desabamento de uma encosta por causa das chuvas torrenciais.
Coisas da natureza... ou de deus!

Comentários

  1. Mentira que vc não virou vegetariano!
    mentira que tem alguém que imprime piada!
    Mentira que teve terremoto em pernambuco!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados, mas não são censurados. Caso seu comentário não vá ser exibido, uma explicação será dada.

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

A carne mais barata do mercado...

Respeito póstumo