A de amor, b de baixinho

E não é que a chamada na faculdade segue a ordem alfabética, como, aliás, é a norma das cadernetas de chamadas?
Pois toda vez que um professor chama: "Filipe", o colega pergunta: "Qual?"
E sempre é o outro.
Xarás à parte, o nome do colega só é chamado um tempo depois, para o seu espanto, que ainda não conseguiu perceber que horas o professor vai chamar "Phillipe".


Pelo celular: Djaman Barbosa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

A carne mais barata do mercado...

Respeito póstumo