Nós vamos estar salvando sua vida...

Algumas postagens mais engraçadas desse blog, são os relatos de minhas aflições com os atendimentos de telemarketing.
As pessoas costumam dizer que eu levo tudo a ferro e fogo, que deveria relaxar mais, deixar as coisas passar.
Por conta do grande número de gente zen, que releva os revezes da vida, os absurdos vão aumentando. Aumentaram tanto que Sergipe resolveu passar o atendimento do 190, o número de atendimento de emergência, para o atendimento ineficaz, estúpido e irritante do telemarketing. A medida foi anunciada com pompa, com a criação de sei lá quantos empregos no Estado e omissão de quanto dinheiro rolou para dispensar os policiais que antes faziam esse serviço para contratar empresas privadas.
O diálogo a seguir, apesar de ser tão absurdo quanto aqueles que eu travei com as atendentes da OI, SKY, TAM, Submarino, NET e Saraiva, não tem nada de engraçado, por se tratar de um serviço de emergência. A ligação partiu de um depósito de bebidas. Um comerciante aflito falava:

Vítima - Bom dia, aqui tem dois motoqueiros parados só de olho. Tem mais de cinco minutos.

Atendente - Eles estão fazendo algo suspeito?

Vítima - Para mim estão fazendo algo suspeito. Se é motoqueiro, é suspeito ficar parado há muito tempo. Eles não são moradores da rua. Estão parados há muito tempo e não tiram os capacetes da cabeça. Não tiram o capacete.

Atendente - A placa da moto?

Vítima - Eu não vejo. Não posso ir até lá ver. Só sei que ele está parado olhando.

Atendente - O senhor visualizou a característica dos indivíduos?

Vítima – Não. Não conheço. Estão com capacete na cabeça, como é que vou saber?

Atendente - Eu peço que o senhor tenha as características do indivíduo para me passar.

Vítima - Está certo. Está bom. Tchau.

Sem atendimento, por não conseguir preencher as exigências padronizadas desse tipo de atendimento (como a de descrever dois homens que, segundo já relatado, estavam de capacete), o comerciante ficou lá e, no final da manhã, foi assassinado pelos dois motoqueiros.
Morreu. Não tem retorno. Não há como o atendimento de telemarketing reparar isso, mandar outro produto, estornar o valor do cartão de crédito.
Não há como alguém me convencer que devo aceitar esse "pequenos" absurdos cotidianos.
O conformismo está matando as pessoas no Brasil à toa e poucos parecem perceber.

Comentários

  1. Gente!
    Eu não creio nisso...
    Misericórdia!
    Daqui a pouco o SAMU também vira telemarketing, já pensou nisso?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários são moderados, mas não são censurados. Caso seu comentário não vá ser exibido, uma explicação será dada.

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

Respeito póstumo

Então não vamos mais brigar