D'além mar

Casal suspeito de agredir e violar pastor.

Depois de lerem a matéria e entenderem que não se trata de nenhuma tentativa violenta de uma nova reforma, nem ação do Greenpeace em defesa dos carneiros, quero chamar atenção para essa frase:

"Inclusive, terá, de acordo com a PJ, sido violado, com recurso a uma cenoura".

Não só aí, mas em todo o texto, vemos uma narrativa que dificilmente será encontrada nos jornais daqui do Brasil, e não me refiro apenas àqueles que exibiriam em sua primeira página manchetes do tipo: "Homem contratado para cuidar de ovelhas vai pro Vale do Cobrão e leva cenoura!"
No sítio Jornal de Notícias também tem uma narativa fluida, cronológica e detalhada do caso. Ou, pelo menos, tão detalhada quanto o bom gosto permite.

Algumas vezes nossos noticiários parecem exagerar nos recursos narrativos e desprezam uma narrativa linear, mas não é disso que quero falar. É dessa tentativa inútil de reforma ortográfica para unificação da língua portuguesa.

Os textos que estão aqui são compreensíveis pra mim, ainda que escritos em português de Portugal, e ao mesmo tempo são estrangeiros e nenhuma unificação da ortografia vai mudar isso.

Não sei como anda a aprovação do tal acordo ortográfico nos outros países, mas eu ainda tenho dificuldades com as perdas dos acentos, não sei mais o que tem ou não hífen, e ainda uso o trema. Enão tem lei que consiga fazer isso mais fácil.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

A carne mais barata do mercado...

Respeito póstumo