Coerência

Acabei de saber que o DJ Marlboro (queeem?) foi acusado de abusar de uma menina de 04 anos.
Abaixo tem os vídeos da matéria, mas não é sobre o caso em si que quero comentar, já que não acompanhei os desdobramentos e não sei se o DJ é culpado ou vítima de uma calúnia.
Mas eu vi uma defesa do DJ, feita num blog onde a autora expõe sua opinião sobre o caso e manda um recado para Datena e resolvi comentar o que li. Segue o texto do blog (em verde):

Gostaria de dar meu Depoimento sobre o DJ Marlboro...
Para nem não conhece é muito facil julgar,incriminar,eu poderia ser mais uma dessas pessoas que amam ver o barraco pegar fogo e vai lá e julga as pessoas sem ao menos conhece-lo.


---> Toda vez que alguém é acusado essa desculpa é usada: de que quem está julgando-o não conhece o acusado. Esse raciocínio é torto, já que se julga o ato. Não importa se o molestador é Átila, o Huno, ou Papai Smurf, molestar crianças é um crime. As características do acusado só serão consideradas caso se comprove se (ou não) a sua autoria.

DATENA

Não aceito que pessoas julgam as outras sem ao menos conhece-la,sem passar um dia com a pessoa para saber o que realmente ela pensa,só eu sei o quanto fui julgada,humilhada a ponto de eu ficar mal,de ficar dias sem sair de casa com medo,de ficar chorando.


---> Se pra julgar fosse necessário passar um dia com a pessoa, os tribunais do júri seriam interessantíssimos. Imagine ter que passar um dia com um acusado de homicídio para só depois decidir sobre sua culpabilidade. A defensora aproveita e dá o seu depoimento pessoal. É como se Netinho de Paula fosse defender Dado Dolabella de alguma acusação.


Eu imagino o que o DJ anda passando,e gostaria de pedir as pessoas não incrimina-lo pois ele é uma pessoa do bem,ele poderia escolher a mulher que ele quisesse para passar uma noite,ele tem um ex namorada grávida,eu não acredito que um homem com o caráter dele pudesse mexer com uma criança de 4 anos.

Aqui a blogueira tem a coragem (ou ingenuidade) de expor o que muita gente pensa: gente famosa não estupra, não violenta, não agride porque tem quem queira dar pra eles de graça. É mais provável imaginar que um caso que não tem fama, não aparece na mídia, não costuma dar entrevista, queira dar um golpe do que uma celebridade (tá é o DJ Marlboro, mas vamos lá) cometa um crime. Diga-se de passagem que não estou pré acusando o sujeito, apenas dizendo que o pensamento para defendê-lo tem que ser algo mais consistente do que afirmar que ele engravidou uma mulher com quem ficou menos de 9 meses.

Esse pensamentos, infelizmente, não são isolados. Muita gente acha que a polícia deveria prender outras pessoas que não Romário ou Edmundo. O inusitado aqui é a pessoa que defende o caráter do acusado, e se diz já tão julgada e perseguida: Felina.

Uma mulher que ficou "famosa" filmando famosos que se despiam pra ela no MSN e depois publicando essas imagens no blog. Essa criminosa ganhou notoriedade, deu entrevistas, não soube que tenha sido processada por quem quer que seja, e agora além de fazer posse de vítima de uma sociedade sem piedade, ainda resolve ser defensora de quem ela entende estar acima de qualquer suspeita.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bate o sino, pequenino

Respeito póstumo

Então não vamos mais brigar